Bolo de banana, aveia e canela

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Há algum tempo, fiz um bolo de maçã com aveia que era simplesmente divino. Enquanto o saboreava, tive a impressão de que ele funcionaria com outras frutas, como pera ou banana, por exemplo. Aproveitando que minha irmã viria passar o Natal na cidade, resolvi fazer o teste.

E não é que funciona direitinho com banana? Ficou uma delícia. Como usei uma assadeira um pouco maior dessa vez, achei que daria para ter mais streusel por cima. #alokdostreusel

Bolos com streusel são ótimos fresquinhos, quando o streusel ainda está crocante. Mas, se não conseguir comer tudo no mesmo dia, não se preocupe. O bolo compensa a falta de croc-croc ficando ainda mais úmido e perfumado nos dias seguintes.

Bolo de banana e aveiaReceita livremente adaptada daqui

Ingredientes:

Para a farofinha (streusel):

1/3 de xícara de farinha de trigo
1/3 de xícara de aveia em flocos grossos
1/4 de xícara de açúcar mascavo bem apertadinho na xícara medidora
1/2 colher (chá) de canela
1/4 de xícara de manteiga sem sal gelada
1 1/2 colheres (chá) de melado de cana

Para o bolo:
3 bananas bem maduras, descascadas e picadas em cubinhos de 1 cm (o equivalente a 2 xícaras), misturadas com 1 colher (chá) de suco de limão espremido na hora
1 1/4 de xícara de farinha de trigo
3/4 de colher (chá) de sal
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de canela em pó
1 xícara de aveia em flocos grossos
1 1/4 xícara de leite em temperatura ambiente (divida em 3/4 de xícara e 1/2 xícara)
1/2 xícara de óleo de canola
1/2 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de açúcar
2 ovos em temperatura ambiente
1 3/4 colheres (chá) de extrato de baunilha

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180ºC. Unte levemente uma forma quadrada de 22 cm e forre-a com papel manteiga, deixando sobrar uma borda dos lados (usei uma forma retangular de 26 X 40 cm).

Para preparar a farofinha, misture a farinha, a aveia, o açúcar mascavo e a canela em uma tigela média. Corte a manteiga em pedacinhos e adicione à mistura. Misture até que a manteiga fique coberta pelos ingredientes secos e adicione o melado. Usando os dedos ou um garfo, aperte os pedaços de manteiga até que eles se partam em pedaços ainda menores e você obtenha uma farofa úmida, com pedaços grandes e pequenos intercalados. Cubra com um filme plástico e reserve na geladeira até a hora de usar.

Em uma tigela, misture a farinha, o sal, o bicarbonato e a canela. Reserve também.

Em outra tigela, misture a aveia e 3/4 de xícara de leite e deixe quietinho por 5 minutos (não mais do que isso para que a aveia não fique muito molenga).

Pronto, agora é hora de juntar tudo. Numa tigela grande, adicione ovos, açúcar e óleo e mexa bem com um fouet até ficar bem misturado. Adicione o extrato de baunilha e a mistura de aveia e mexa mais (agora com uma espátula de silicone). Adicione os ingredientes secos em 3 vezes, alternando com o restante do leite, em 2 vezes, mexendo a cada adição até que não haja mais farinha visível. Envolva as bananas picadas.

Verta a massa na assadeira preparada e espalhe-a com uma espátula para formar uma camada uniforme. Distribua a farofinha uniformemente sobre a massa.

Asse até que o bolo passe no teste do palito. Retire-o do forno e deixe que ele resfrie completamente sobre uma grade.

Passe uma faquinha fina ao redor do bolo. Erga-o gentilmente da assadeira usando as alças de papel manteiga. Vire o bolo em um prato grande e remova o papel, virando-o em seguida no prato de servir.

Observação final:

Minha única dica é: caso você não goste do cheiro do leite de vaca, utilize um de sabor suave ou substitua a parte usada para umedecer a aveia por outro líquido - imagino que funcionaria com suco de maçã ou laranja ou chá de canela, mas não cheguei a testar. Fiz a receita toda com um leite de sabor mais marcante e o cheiro ficou bastante presente.

Leites vegetais (de amêndoas e de amendoim)

domingo, 31 de janeiro de 2016

Sempre tive curiosidade em relação aos 'leites' de castanhas. Cheguei a provar versões industrializadas, mas não gostei muito da lista de ingredientes - havia um monte de aditivos e muito pouca castanha. Por outro lado, achava que devia ser difícil fazer em casa sem equipamento específico. Até que, na semana passada, resolvi encarar o desafio.

Gente, que boba que eu fui! É muito fácil fazer em casa. Basta ter um liquidificador potente e um coador bem fino. E um pouco de planejamento, pois as castanhas precisam ficar de molho por algumas horas antes de serem liquidificadas.

 Preparei dois 'leites': de amendoim e de amêndoa. Vou falar um pouco das minhas impressões sobre cada um:

 * O leite de amendoim tem cheiro bem marcante de... amendoim, claro. Mas de amendoim cru. O sabor é bem discreto. Se você tiver a pachorra de tirar as peles dos bichinhos, como eu fiz, vai obter um leite branquíssimo. Quando guardado na geladeira, ele tende a sedimentar (fica um resíduo mais denso no fundo). Mas basta mexer um pouquinho para ele ficar homogêneo de novo.

Se eu fosse você, o empregaria em receitas doces (bolos e sobremesas) ou beberia adoçado, misturado com cacau em pó. É bom manter sempre refrigerado e usar em até 3 dias depois de pronto.

 * O leite de amêndoas tem cheiro mais suave e... elegante (desculpe, não encontrei palavra melhor). Não é tão branco quanto o de amendoim, talvez porque eu não tenha retirado as peles das amêndoas. Quando guardado na geladeira, a gordura tende a se separar e ficar na superfície. Novamente, basta mexer um pouquinho para ele ficar homogêneo.

Por seu sabor mais discreto, dá para usar em receitas doces ou salgadas. Também dá para beber com café ou cacau em pó. A recomendação sobre tempo de geladeira é a mesma - consuma em até 3 dias.

Como eu não tenho intolerâncias ou alergias relacionadas a leite de vaca, ainda prefiro o leite que a Mimosa dá. Mas, como tenho muitos amigos que não têm a mesma sorte, adorei conhecer essas opções.

Leites vegetais
Receitas adaptadas do ótimo Presunto Vegetariano 

Leite de amendoim (para preparar 1 xícara de 240 ml)

Ingredientes: 

1/3 de xícara de amendoim cru com casca (pode encher bem a xícara medidora)
1 xícara de água filtrada
Opcional - 1/2 colher (chá) de extrato de baunilha

Modo de Preparo: 

Acomode os amendoins em uma peneira e lave-os em água corrente. Coloque-os em uma vasilha pequena, cubra com água e deixe descansando por 12 horas (eu deixei na geladeira por 24 horas).

Passado esse período, derrame o conteúdo da tigela na peneira e lave novamente os amendoins em água corrente. As peles deles já estarão meio soltas - se quiser, pode retirá-las nesse momento.

Coloque os amendoins em uma panelinha, cubra com água e leve ao fogo médio até ferver. Desligue o fogo e deixe descansar por 5 minutos.

Escorra mais uma vez os amendoins e leve ao liquidificador junto com a água filtrada (e o extrato de baunilha, se quiser usar). Bata bem até ficar uniforme. Coe numa peneira ou pano de trama fina (limpíssimo, claro), espremendo bem para extrair todo o líquido. Tchanã! Leite de amendoim pronto para uso.

****************************

Leite de amêndoa (para preparar 1 xícara de 240 ml)

Ingredientes: 

1/3 de xícara de amêndoas cruas com ou sem casca
1 xícara de água filtrada
Opcional - 1/2 colher (chá) de extrato de baunilha (não coloque se quiser usar em receitas salgadas)

Modo de Preparo: 

Coloque as amêndoas em uma vasilha pequena, cubra com água (o dobro da altura das amêndoas) e deixe descansando por 12 horas (eu deixei na geladeira por 24 horas).

Escorra as amêndoas e coloque no liquidificador, juntamente com a água filtrada e o extrato de baunilha (se quiser usar). Bata bem até ficar uniforme. Coe numa peneira ou pano de trama fina (limpíssimo, claro), espremendo bem para extrair todo o líquido. Pronto!

****************************

Observação final:

O resíduo do leite de castanhas não precisa ser descartado! Se quiser, você pode espalhá-lo em uma assadeira e levar ao forno a 180ºC até secar (fique de olho e revolva de vez em quando para não deixar queimar). Passe por uma peneira para ficar soltinho e use em biscoitos, bolos e outras preparações, doces ou salgadas.

Creme gelado de amendoim com cobertura de chocolate

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

De uns tempos para cá, o amendoim virou queridinho do pessoal fit/funcional. O bichinho tem, mesmo, muitas qualidades nutricionais: gorduras do bem, vitaminas e sais minerais. Mas, de verdade, meu caso de amor com ele não tem nada a ver com os benefícios que ele proporciona. Desde criança, eu gosto é do sabor.

E pode ser de qualquer jeito - torrado e salgado, tipo praliné, com capinha salgada, no pé-de-moleque, no cajuzinho... e a forma suprema, a mais gostosa de todas: paçoca. Eu não tenho a menor compostura diante de paçoca.

Daí que um dia, a minha marca preferida de paçoca lançou a sua versão cremosa. Provei e senti até frio na espinha diante do potencial destruidor daquilo - eu poderia comer o pote inteiro de colherzinha, em uma sentada. Tratei de usá-la em uma receita e me prometi manter distância pro resto dos tempos.

Só que hoje, amores, é Dia da Gula. Por isso, eu venho aqui trazer um creminho gelado de amendoim que é um escândalo, de bom. E que pode ser comido sem tanto peso na consciência. Quer mais benefícios? É sem glúten, sem lactose, vegano e super saudável.

Sei que há uma chance considerável de você ler a lista de ingredientes e torcer o nariz. Digo isto porque eu torceria, se fosse você. Mas dê uma chance ao creminho. É muito, muito bom. A sensação é de comer paçoquinha cremosa. Mas sem peso nem na consciência, nem no estômago.

Creme gelado de amendoimReceita adaptada da equipe Natue

Ingredientes:

250 g de biomassa de banana verde*
6 colheres (sopa) de creme de amendoim natural com açúcar mascavo
4 colheres (sopa) de açúcar mascavo
1 xícara de leite de amendoim* (pode usar leite de amêndoas ou algum leite de origem vegetal suave)

Opcional - cobertura de chocolate
50 g de chocolate amargo em pedacinhos
2 colheres (chá) de óleo de coco

Modo de preparo:

Mais simples, impossível: no copo do liquidificador, junte o leite vegetal, a biomassa, o creme de amendoim e o açúcar mascavo e bata bem até ficar liso e cremoso.

Enquanto o creme bate, derreta juntos o chocolate e o óleo de coco (em banho-maria ou no micro-ondas, tanto faz). Misture bem até ficar homogêneo.

Divida o creme entre 6 tacinhas com capacidade para 110 ml. Com uma colher de chá, espalhe o chocolate sobre os creminhos. Leve para gelar por, pelo menos, 1 hora antes de servir. O chocolate vai endurecer e formar uma capinha dura.

Creme gelado de amendoim_2
Em potinhos descartáveis, para levar para os coleguinhas ;-)

Observações finais:

* Este post é fruto da parceria do blog No Calor do Fogão com a Natue e reflete a minha opinião sincera sobre a loja e seus produtos.

* Você não me perguntou, mas eu conto mesmo assim: cada potinho desses tem cerca de 260 calorias, já contando com a frescurinha de chocolate amargo por cima.

* Você também não perguntou, mas eu conto mesmo assim: um pote de 180g de paçoquinha cremosa tem 1240,8 kcal. A mesma quantidade deste creminho tem 338,4 kcal. E você ainda leva todos os benefícios da biomassa de banana verde.

* Se quiser, você pode fazer a biomassa de banana verde em casa. No blog Cuecas na Cozinha, há um post super bacana que explica passo a passo.

* "Tá doida, fia, leite de amendoim?" - SIM! Eu andei me aventurando no mundo dos leites vegetais. Vai ter post sobre isso muito em breve.

Brigaipim

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Brigaipim (cobertura de cacau)

Só o nome já deu frio na espinha? Em mim, deu. Mas, como eu havia prometido fazer sobremesas veganas para a ceia de Natal, encarei mais esta heresia: um docinho tipo brigadeiro sem leite condensado. Pior ainda, de aipim (ou mandioca, ou macaxeira, chame como achar melhor).

Eu sei, seu sei. No primeiro impacto, não dá para imaginar que algo de bom possa sair disso. Mas pense nos aspectos positivos:

  • É um doce que pode ser consumido tranquilamente por quem tem alergia a leite, por intolerantes a lactose ou por veganos; 
  • Não utiliza leite condensado de origem vegetal, que costuma ser, no mínimo, o dobro do preço do leite condensado comum; 
  • É possível ajustar quão doce você quer que fique (leite condensado comum tem aquela doçura padrão, né).

Amoleci um pouco o seu coração? Então, a cartada final: o resultado. Vamos começar pela pergunta que eu também fiz: Fica igual a brigadeiro? Eu respondo em partes:

  • Aparência: É idêntica;
  • Textura e consistência: Lembra bastante a de brigadeiro, mas mais leve, sem 'puxar' ao ser mordido. 
  • Sabor: Não tem gosto de brigadeiro (não tem leite condensado, né, mores). Lembra mais trufa de chocolate amargo. 

Mas é ruim? Pelo contrário. É muito gostoso. E não há quem diga que há mandioca na receita - se eu mesma não tivesse preparado, não acreditaria nisso.

Eu cobri os meus brigaipins com cacau em pó e coco ralado. Mas, se quiser, você pode cobri-los com raspinhas de chocolate amargo (que não levem leite na composição, claro).

Brigaipim (cobertura de coco) Receita ligeiramente adaptada daqui

Ingredientes:

1 xícara de mandioca cozida só em água até ficar bem macia
1/2 xícara de chocolate amargo finamente picado (70%, sem leite na composição)
2 colheres (sopa) de cacau em pó
3 colheres (sopa) de melado de cana
3 colheres (sopa) de açúcar mascavo
1 colher (chá) de óleo de coco

Para cobrir os brigaipins: raspas de chocolate, castanha picada, coco ralado, nibs de cacau, cacau em pó... sua imaginação é quem manda.

Modo de preparo:

Comece pela mandioca: depois de cozê-la até ficar bem macia, passe-a no processador de alimentos ainda quente e bata até obter um purê lisinho. Passe esse purê por uma peneira para eliminar possíveis fios, meça uma xícara e devolva-a para o processador.

Acrescente então os demais ingredientes e processe bem até obter uma mistura uniforme. Leve ao fogo em uma panela de fundo grosso, mexendo até dar ponto de brigadeiro (é bem rápido).

Acomode a massa em um prato ligeiramente untado com óleo de coco e deixe esfriar antes de boleá-la. Com as mãos levemente untadas em óleo de coco, forme bolinhas e role-as na cobertura de sua preferência, acomodando em forminhas de papel.

Observação final:

* É importante que a mandioca ainda esteja quente para ser mais fácil processá-la e para que o seu calor derreta o chocolate.

* Esta receita veio do Instagram da Alana Rox, uma cantora vegana que é também cozinheira de mão cheia. Além de não utilizarem ingredientes de origem animal, as receitas da Alana também são sem glúten.

Creme de cacau e coco

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

A ceia de Natal da minha família foi ótima, como em todos os anos. Mas, desta vez, ela foi precedida de alguns momentos de ansiedade. Supostamente, um dos convivas havia se tornado vegano (para quem não sabe, vegano é alguém que não consome nada de origem animal - alimentos e, até mesmo, roupas - em uma atitude de respeito e valorização da vida de animais não-humanos).

Minha mãe me ligou aflita: - "Preparar pratos salgados sem utilizar produtos de origem animal? Ok, eu dou conta. Mas e a sobremesa? Vou servir banana amassada com aveia pra esse menino!". Resolvi encarar o desafio e assumi a tarefa de fazer sobremesas veganas.

A primeira delas foi este creme de cacau e coco. A receita, recebi do pessoal querido da Natue como sugestão de sobremesa para o verão. Mas, como já havia comido algo parecido - e adorado! - achei que faria bonito na mesa de Natal.

Não estava enganada, gente. Ô, creminho gostoso. É chocolatudo, mas guarda um gostinho bom de coco. É consistente, mas não pesa. Agrada veganos, intolerantes a lactose, fit/funcionais... e quem não é nada disso, mas gosta de doce não muito doce.

O meu creme ficou com uma aparência meio granulosa, embora isso não fosse perceptível na boca. O problema foi o liquidificador, que anda ruinzinho e não deu conta de bater tudo que devia. Mas, se o seu liquidificador está bem disposto, capriche e bata até ficar bem, bem lisinho.

Creme de cacau e coco
Receita adaptada da equipe Natue. Esta, recebi por e-mail, mas eles têm um blog com receitas bem legais!

Ingredientes:

250g/1 xícara de biomassa de banana verde
150ml de leite de coco
6 colheres (sopa) de cacau em pó não adoçado de boa qualidade (usei um 100% cacau)
6 colheres (sopa) de açúcar mascavo
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1/2 colher (chá) de café solúvel (opcional - é só para intensificar o sabor do cacau)
Coco ralado para decorar

Modo de preparo:

O preparo é bem simples. Basta colocar todos os ingredientes no liquidificador e bater até obter um creme homogêneo e liso. É bom que o seu liquidificador não seja covarde ou ele não dará conta (a biomassa é pesada).

Distribua o creme em tacinhas (ou em um recipiente maior), decore com coco ralado e leve para gelar por umas 3 horas.

Observações finais:

* Este post é fruto da parceria do blog No Calor do Fogão com a Natue e reflete a minha opinião sincera sobre a loja e seus produtos.

* Se quiser, você pode fazer a biomassa de banana verde em casa. No blog Cuecas na Cozinha, há um post super bacana que explica passo a passo.

* O sabor ficou mais adulto por conta da quantidade grande de cacau (sou dessas que acha que "chocolate pouco, nem me chame"). Se quiser servir para crianças ou gente com paladar menos acostumado, diminua a quantidade de cacau para 4 colheres de sopa e verifique se é necessário adoçar um pouco mais.

Kit para chocolate quente

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Veja só o que é boa intenção. Eu realmente pretendia fazer pelo menos um post com temática natalina. Produzi foto e tudo. Mas cadê tempo para tratar foto, escrever texto e postar? Não tive. Assim, perdoem o atraso. Tentarei melhorar neste ano.

Ultimamente, tenho curtido muito dar presentes que envolvem preparar algum alimento, atividade que acho super prazerosa e terapêutica. Além disso, poucas coisas congregam tanto as pessoas quanto comer (ou beber) juntos. Assim, para famílias amigas, tenho gostado de preparar kits para serem preparados e desfrutados por todos - juntos, de preferência. 

Um dos mais legais e simples de fazer foi o de chocolate quente. A ideia veio do Prato Fundo, que publicou uma foto dos seus potinhos de chocolate quente em pó no Instagram. O que eu fiz foi complementar o kit com um pote de mini-marshmallows e canecas fofas.

Mistura para chocolate quente
Receita daqui

Ingredientes (para 850 g - 6 potinhos de 200 ml):

300g açúcar cristal com baunilha (não deu tempo de preparar açúcar baunilhado, usei comum :-/)
250g leite em pó integral
225g chocolate meio amargo ralado (usei um 70%)
75g cacau em pó não adoçado (usei um 100% cacau) 

Modo de preparo:

Fazer o mix é a coisa mais mole do mundo. Para preparar bem rapidinho, use uma vasilha grande que tenha tampa e que feche hermeticamente. Adicione nela todos os ingredientes, tampe e sacuda vigorosamente por um minuto. Dê umas batidinhas na tampa para o pó baixar e pronto!

Para encher os potes de vidro que servirão de embalagem final, use um funil. Não se esqueça de incluir uma tag informando como preparar o chocolate quente!

E como prepara? Basta misturar 3 a 4 colheres de sopa desse mix em 200 ml de água ou leite beeem quente (para derreter o chocolate). Mexa muito bem. Sirva com marshmallows, fica uma delícia!

Observação final:

Eu não ralei o chocolate - até porque, só tinha gotinhas e haja paciência, néam. O que eu fiz foi colocar as gotinhas no freezer por 1 hora, até que elas ficassem bem duras, e triturar no liquidificador até obter um pó.

Muffins de banana e chocolate da Nigella

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Férias das crianças, festas de fim de ano, família reunida, amor, amor, amor. Foi assim que passei o último mês. Foi por isso que desapareci destas bandas. Mas começou um novo ano - é hora de voltar ao trabalho (check!), retomar a atividade física (check!), deixar a dieta viking para trás (check!) e tirar as teias de aranha deste espaço!

Espero que você tenha tido um fim de ano lindo, capaz de redimir as más impressões que 2015 possa ter deixado, e que tenha começado 2016 com esperanças e energias renovadas. E, se não foi o caso, vou dar a real pra você: essa mudança de calendário é pura convenção. E, como qualquer convenção, não precisa ser seguida. Sendo assim, você tem todo direito de fazer de qualquer dia o seu dia de recomeçar, de se renovar, de vestir branco e pular 7 ondinhas. FELIZ VIDA NOVA! Hoje e sempre que você precisar!

Para retomar os trabalhos, escolhi apresentar a vocês um bolinho que fiz logo que o ano começou, aproveitando bananas super maduras e um tanto de chocolate em flocos que havia sobrado de um brigadeiro feito para as minhas sobrinhas.

A receita é da deusa doméstica Nigella e, como tudo que ela faz, é simples e tem ótimo resultado. Os bolinhos ficam lindos, com o topo alto e redondinho. A massa é fofa e úmida. O sabor da banana fica bem evidente e casa muito bem com o chocolate.

Bora começar o ano com bolinho e animação? Vem comigo!

Muffins de banana e chocolate
Receita ligeiramente adaptada daqui

Ingredientes:

3 bananas bem maduras
1/2 xícara de óleo vegetal (usei canola)
2 ovos
1/2 xícara de açúcar mascavo (aperte bem na xícara medidora)
1 1/2 xícaras de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de cacau em pó não adoçado, de excelente qualidade
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de extrato de baunilha (opcional - adição minha)
3 colheres (sopa) de chocolate ao leite em flocos + 2 colheres (sopa) para decorar (opcional - adição minha)

Modo de preparo:

Esta receita pode ser preparada à mão, com uma batedeira ou, mesmo, com um mixer de mão (usei o último método, que é o que eu vou explicar aqui).

Ligue o forno a 200ºC. Forre com forminha de papel as 12 cavidades uma assadeira de muffins de tamanho padrão.

Numa tigela grande, coloque as bananas, o óleo, os ovos, o extrato de baunilha e o açúcar. Com o mixer de mão, bata até obter um creme homogêneo.

Em outra tigela, peneire juntos a farinha de trigo, o cacau e o bicarbonato. Misture bem e adicione ao creme de banana, envolvendo com uma espátula de silicone até incorporar. Se usar flocos de chocolate, adicione-os neste ponto e misture até distribuir pela massa.

Distribua a massa pelas forminhas preparadas . Se quiser decore cada bolinho com o chocolate em flocos. Leve ao forno por 15 a 20 minutos ou até que os bolinhos estejam crescidos, com topos redondos, e aprovados no teste do palito.

Deixe esfriar por alguns minutos na assadeira antes de transferir os bolinhos para uma grade de resfriamento.

Rende 12 bolinhos.

UPDATE - Observação final:

Gente, o que é timing, não é mesmo? Acabei de saber que hoje é aniversário da diva, da deusa, da maravilhosa Nigella! Mais um motivo para você fazer esse bolinho, hein? ;-)

Printfriendly