Ropa vieja

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Mais um prato para slow cooker - e mais um cubano. ¡Viva!

Ropa Vieja é um prato super tradicional em Cuba. E, como qualquer prato tradicional, há dezenas de versões - cada uma se intitulando a mais autêntica. Mas, na maioria delas, consiste em um guisado de carne, tomates e pimentões. A carne é bem desfiadinha e o o molho resultante é picante, super aromático, desses que fazem os vizinhos suspirarem cada vez que se abre a panela.

Ropa Vieja
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

1 kg de acém bovino, limpinho (inteiro - não precisa cortar em cubos)
6 dentes de alho - 3 inteiros, 3 picadinhos
1 colher (sopa) de óleo de girassol
2 latas (240 g) de molho de tomate*
1 pimentão verde médio finamente fatiado (usei 1 xícara, em cubinhos)
1 cebola média fatiada em meias-luas finas (usei 1 xícara, picadinha)
1 pimenta dedo-de-moça sem sementes, picadinha (use luvas!)
2 colheres (chá) de orégano seco
2 colheres (chá) de sal
1 colher (sopa) de cominho moído
1 colher (sopa) de vinagre branco (usei de maçã)
1/4 de xícara de coentro fresco picado + mais para servir

Modo de preparo:

Com uma faça três pequenas incisões no acém - o suficiente para enfiar um dente de alho em cada uma delas (e ele não sair). Tempere os dois lados da carne com sal e pimenta-do-reino.

Numa frigideira grande e funda, aqueça o óleo e sele a carne dos dois lados, deixando-a ficar bem dourada. Pode espirrar um pouco de gordura, mas resista à tentação de tampar a panela para que ela doure, e não cozinhe no vapor.

Transfira a carne para a slow cooker, adicione os demais ingredientes e misture bem. Tampe e programe para cozinhar em temperatura baixa por 7-8 horas (eu deixei cozinhar de um dia para o outro). Está pronto quando a carne desfiar facilmente (teste com o auxílio de dois garfos).

Remova a carne da panela para um prato, desfie-a completamente com os garfos e devolva-a à slow cooker. Prove o tempero e acrescente mais sal ou pimenta-do-reino, se precisar.

Sirva com coentro salpicado e arroz branco. Ou, se preferir, recheie trouxinhas de alface, tortillas de trigo... um pãozinho também cai bem, caso queira mergulhar no molho.

Observações finais:

* Novamente usei aquele molho de tomate trucão que costumo preparar quando vou cozinhá-lo na slow cooker: 2 latas de tomate pelado; 1/2 cenoura e 1/2 cebola, tamanho médio, descascadas e picadas grosseiramente; 3 tâmaras, sem caroço; 1 dente de alho; 1 colher (chá) de sal; 4 pedaços de tomate seco. Bato tudo no liquidificador até virar purê e pronto.

* Usei alguns ingredientes picadinhos (cebolas e pimentões) porque comecei a preparar o mise-en-place de outra receita, mas no meio do caminho mudei de ideia.

* A Ropa Vieja pode ser conservada na geladeira por até 5 dias, ou no freezer por até 2 meses.

* Já participou da pesquisa de opinião? HOJE É O ÚLTIMO DIA! É bem rapidinho - em menos de 5 minutos, você termina. E ainda pode concorrer a um kit com dois livros do Gordon Ramsay! Clique aqui e participe!

Bolo de chocolate com batata-doce

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Lembra que no último post eu prometi uma receita usando a calda de tâmaras como adoçante? Pois é. Só que não foi tão fácil achar. Calda de tâmaras não é uma forma muito usual de adoçar guloseimas, eu hei de convir. Resolvi buscar então uma receita que usasse adoçante natural líquido.

Encontrei uma receita daquelas que arrepiam os cabelos de puristas como o hômi: um brownie sem manteiga, sem farinha de trigo, sem açúcar. "Só faltava ser sem chocolate", ele resmungou. Quer que piore? Tem batata doce. E não é fudgy. Mas, contrariando o hômi (e, talvez, o bom senso), resolvi dar uma chance à receita porque a procedência é boa.

O resultado? Um brownie com textura cakey. Ou, como eu preferi chamar, um bolo de chocolate. Desses bem chocolatudos. Com textura úmida e fofa, doce na medida, sem nenhum sabor esquisito.

O provador oficial não curtiu por conta da textura. Brownie, pra ele, tem que oferecer alguma resistência aos dentes. Mas eu achei incrível. Tanto que (ai, vou confessar) comi sozinha, escondida dos meus filhos, só pra não ter que dividir (horrível, eu sei). Só sei que vou fazer de novo - e quem sabe eu tenha a decência de dividir com alguém. 

Brownie de cacau e batata-doce
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

1 1/2 xícaras de batata doce em cubos, cozida no vapor
1/2 xícara de farinha de amêndoas*
1/2 xícara de óleo de canola*
1/2 xícara de cacau em pó não adoçado
1 ovo grande
1/2 xícara de calda de tâmaras*
1 colher (sopa) de extrato de baunilha
Uma pitada de sal
1/2 xícara de gotas de chocolate amargo (usei um com 70% de teor de cacau)
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 170°C. Forre com papel manteiga uma forma grande de bolo inglês (eu usei duas formas de alumínio descartáveis com capacidade para 500 mL, cada).

No copo do processador de alimentos, adicione a batata doce, a farinha de amêndoas, o óleo, o cacau, o ovo, a baunilha, a pitada de sal e 1/2 xícara de calda de tâmaras. Bata até obter uma mistura lisa e homogênea. Desligue o processador, abra o copo e prove a massa. Se achar que não está suficientemente doce, acrescente mais 1 ou 2 colheres (sopa) de calda de tâmaras e processe novamente. Quando ficar do seu gosto, some o bicarbonato e pulse somente até incorporá-lo à massa.

Desligue o processador. Com uma espátula de silicone, envolva as gotas de chocolate na massa. Despeje então a massa na forma preparada, alise a superfície e leve ao forno por 35-40 minutos ou até que ela passe no teste do palito para brownies (o palito sai com algumas migalhas úmidas).

Deixe esfriar sobre uma grade antes de cortar. Conserve na geladeira.

Observações finais:

* Não tem processador de alimentos ou só tem um mini? Faça o seguinte: processe a batata doce até obter um purê bem lisinho. Termine o preparo na batedeira ou, se estiver se sentindo forte, com tigela e colher de pau.

* "POOORRR QUEEE ESSA LOUCURA DE CALDA DE TÂMARAS, CRIATURAAA?" Porque eu dei a receita no post anterior, e é facinho de fazer. Mas se você não tiver à mão, substitua por mel, melado, calda de agave, xarope de bordo....

* Já testei trocar a farinha de amêndoas por coco fresco triturado fininho, e o óleo de canola por óleo de coco. Fica ótimo!

* A quantidade de calda de tâmara pode ser ajustada de acordo com o seu gosto. Eu já peguei batatas-doces muito pouco doces que exigiram que eu ajustasse o sabor da massa acrescentando de 2 a 4 colheres (sopa) de calda de tâmaras.

* Você tem até o dia 24 de julho para participar da pesquisa de opinião do blog! É bem rapidinho - em menos de 5 minutos, você termina. E ainda pode concorrer a um kit com dois livros do Gordon Ramsay! Clique aqui e participe!

Calda de tâmaras (date syrup)

sexta-feira, 14 de julho de 2017

De uns tempos para cá, tenho feito muitas experiências utilizando tâmaras secas como adoçante. Elas têm me impressionado muito: realmente dão conta de adoçar bolos e afins sem grande impacto no sabor - diferentemente das passas, que adoçam bem, mas deixam um gosto característico (que eu adoro, mas nem todo mundo curte).

Há algumas semanas, um dos sites que visito regularmente publicou um passo a passo sobre como usar as tâmaras para criar uma calda para ser usada da mesma forma que a calda de agave, o xarope de bordo, o mel ou o melado.

É muito fácil de fazer, só é um pouco trabalhoso coar a calda. E, claro, não rende muito. Mas é uma opção bacana de adoçante natural: não tem sabor residual esquisito (como a estévia), o preço não é tão pavoroso (como o xarope de bordo) e o sabor é suficientemente discreto pra não interferir no gosto das receitas (como o melado ou o mel).

Gostou? Então, fique de olho. A próxima receita que eu publicar vai usar a calda de tâmara como adoçante. ;-)

Date syrup
Receita daqui

Ingredientes: (para 500 mL de calda)

500 g de tâmaras secas sem caroço
1 L de água filtrada

Modo de preparo:

Com uma tesoura de cozinha, corte as tâmaras em pedaços (unte as lâminas com um pouco de óleo, se elas estiverem muito grudentas). Coloque-as em uma panela grande de fundo grosso, adicione a água e leve ao fogo baixo. Deixe ferver por meia hora, mexendo ocasionalmente só para o caso de algo grudar.

Desligue o fogo e espere o conteúdo da panela amornar um pouco. Leve tudo ao liquidificador ou ao multiprocessador e bata por, pelo menos, 1 minuto. O objetivo é obter um purê liso.

Usando um pedaço de musseline, uma peneira finíssima forrada com gaze ou uma 'panela furada' (coador de voal para o preparo de leites vegetais), coe o purê sobre uma tigela, apertando bem até extrair o máximo de líquido que puder. Se quiser, leve esse líquido novamente ao fogo baixo para que ele ferva um pouco e adquira consistência semelhante à do mel.

Acondicione em um pote de vidro com tampa e conserve na geladeira. Dura algumas semanas.

Observações finais:

* O resíduo da coagem fica bem seco e é um pouco menos doce do que a calda ou do que as tâmaras in natura. Você pode aproveitá-lo misturando um pouco de calda pronta até obter uma pastinha. Coma com torradas como você faria com uma geleia ;-)

* Já participou da pesquisa de opinião? É bem rapidinho - em menos de 5 minutos, você termina. E ainda pode concorrer a um kit com dois livros do Gordon Ramsay! Clique aqui e participe!

Frango Tikka Masala na slow cooker

domingo, 9 de julho de 2017

Esta receita me chamou a atenção por ser de uma culinária que eu adoro, a indiana, e por ser muito simples de fazer. Sério: um molho que se mistura facinho em uma tigela, combinado com frango cru, tudo dentro de uma panela que não precisa ser vigiada é um prato bem fácil, né não?

Li as avaliações da receita - de um modo geral, um sucesso estrondoso - e resolvi segui-la bem direitinho. Assim que terminou o tempo de cozimento e eu provei o molho, quase infartei. Era péssimo. Totalmente desequilibrado - muito picante e ácido.

Como o coração aos pulos, fui tentando corrigir a acidez com sal e calda de agave adicionados aos pouquinho. Acrescentava, mexia, provava - até que chegou a um ponto de eu considerei bom. Daí, desfiei o frango, misturei ao molho e acrescentei o creme de leite com amido de milho. A magia se completou e ficou MUITO BOM. E, sabe do que mais? No dia seguinte, depois que os sabores assentaram, o prato ficou ÓTIMO.

Se eu fosse você e tivesse uma panela elétrica de cozimento lento, eu provava, viu.

Slow cooker chicken tikka masala
Receita minimamente adaptada daqui

Ingredientes:

1 kg de filé de peito de frango desossado cortado em cubos médios*
1/2 cebola grande picadinha
4 dentes de alho picadinhos
1 pedaço de gengibre fresco do tamanho de um polegar de adulto, ralado
2 latas de tomate pelado em cubos
1 1/2 xícaras de iogurte natural integral não adoçado
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
2 colheres (sopa) de suco de limão*
2 colheres (sopa) de garam masala
1 colher (sopa) de cominho moído
1/2 colher (sopa) de páprica doce (usei defumada)
2 colheres (chá) de sal, ou a gosto
3/4 de colher (chá) de canela em pó
3/4 de colher (chá) de pimenta do reino moída na hora
1 a 3 colheres (chá) de pimenta caiena (usei 1)
2 folhas de louro
3/4 a 1 xícara de creme de leite fresco
1/2 colher (sopa) de amido de milho
* se necessário, açúcar ou calda de agave para corrigir a acidez do molho

Modo de preparo:

Em uma tigela grande, junte a cebola, o alho, o gengibre, o tomate pelado, o iogurte, o azeite de oliva, o garam masala, o cominho, a páprica, a canela, as pimentas e o sal. Bata até obter um purê. Prove e verifique se precisa de mais acidez. Se achar que sim, acrescente 1 a 2 colheres (sopa) de suco de limão.

Adicione metade desse molho na slow cooker, distribua por cima o frango em cubos e cubra tudo com o restante do molho. Adicione as duas folhas de louro, tampe e programe para cozinhar por 7-8 horas em temperatura baixa. Está bom quando o frango estiver macio e bem cozido.

Ainda com a panela ligada, misture o amido de milho com um pouquinho de creme de leite até dissolver. Complete com o restante do creme e adicione à panela, mexendo delicadamente até incorporar. Prove e retifique algum tempero, se necessário. Deixe por mais 20 minutos para apurar.

Sirva salpicado de coentro picado e com arroz branco.

Observações finais:

* Como coloquei os pedaços de peito de frango inteiros e congelados dentro da panela, eles soltaram muito líquido, o que explica esse visual meio aguado na foto. Da próxima vez que eu preparar, vou deixar o frango descongelar antes.

* Da próxima vez, vou deixar o molho ainda mais fácil batendo tudo no liquidificador.

* Acrescente o suco de limão se julgar necessário. Pode ser que o tomate esteja ácido e não precise de um azedinho adicional.

* Se pensar em servi-lo para crianças, pode ser o caso de tirar a páprica, a pimenta caiena e um pouco da pimenta do reino.

* O frango da lista de ingredientes é em cubos e o da foto é desfiado. Está certo isso, Arnaldo? Eu explico. A receita original é com frango em cubos médios. Precisei desfiar porque estou com um problema odontológico que dificulta a mastigação. Assim, tenho dado preferência a preparos moídos e desfiados. Se quiser, desfie também. Mas a receita original é com frango em cubos, tá.

* Já participou da pesquisa de opinião? É bem rapidinho - em menos de 5 minutos, você termina. E ainda pode concorrer a um kit com dois livros do Gordon Ramsay! Clique aqui e participe!

Cocada com leite condensado

terça-feira, 4 de julho de 2017

Nos últimos tempos, tenho tentado - sempre que possível - substituir ingredientes industrializados por versões caseiras. É o caso do leite de coco. Sabe o que é melhor de produzir leite de coco em casa? É que o resíduo do leite é um coco fresco ralado delícia.

Só que nem sempre consigo consumir tanto coco ralado assim. Eu congelo, mas às vezes o freezer se queixa com a superlotação. Daí, saio doida pelo mundo atrás de uma receita que consuma muito coco ralado.

Foi assim que encontrei essa cocada, publicada há muito tempo em dois dos meus blogs preferidos: Technicolor Kitchen e Pecado da Gula.

Como era de se esperar, a receita não decepciona. As cocadinhas são deliciosas! Difícil é não perder o controle e comer um montão de uma vez!

Cocada
Receita daqui vista primeiro aqui

Ingredientes:

1 lata de leite condensado
2 latas* de açúcar (use a lata de leite condensado como medidor)
200 g de coco fresco ralado
1 colher (chá) de manteiga sem sal

Modo de preparo:

Unte com manteiga uma assadeira de bordas baixas (como a de cookie), uma forma refratária ou, ainda, uma bancada de granito.

Combine todos os ingredientes em uma panela de fundo grosso e leve ao fogo médio-baixo, mexendo sempre até dar ponto como um brigadeiro de enrolar (cerca de 20-25 minutos). Cuide para não deixar a cocada queimar e escurecer (as minhas ficaram com cor de doce de leite clarinho).

Retire a panela do fogo e continue mexendo até que a mistura fique mais espessa. Despeje então a cocada na superfície preparada. Se achar necessário, alise-a com a espátula de silicone ou com as costas de uma colher levemente untada com manteiga.

Espere amornar e corte em quadradinhos. Guarde-os em um pote bem fechado em temperatura ambiente por até dez dias.

Rendimento: 15 pedaços de cocada de ~ 7 cm X 5 cm

Observações finais:

* Não curtiu a unidade de medida 'lata'? Eu também não curti muito. E, por isso, pesei a quantidade de açúcar que cabe em uma lata. É algo em torno de 235 g (470 g, no total).

* Combine os ingredientes antes de levá-los ao fogo. Sério. É importante. Tentei pular essa etapa e tive mais dificuldade de deixar a mistura uniforme.

* Não pule a etapa de continuar misturando a cocada após removê-la do fogo. É isso que faz com que o açúcar volte a cristalizar e dê ao doce o ponto de corte. Se você não o fizer, vai obter algo que lembra beijinho de coco, só que um pouco mais firme e muito mais doce.

* Para mim não deu certo fazer a cocada com coco ralado industrializado. Mas hei de tentar de novo. Se eu conseguir um resultado satisfatório, atualizo o post.

* Já participou da pesquisa de opinião? É bem rapidinho - em menos de 5 minutos, você termina. E ainda pode concorrer a um kit com dois livros do Gordon Ramsay! Clique aqui e participe!

Brownies de doce de leite

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Brownies de doce de leite

Estes brownies nada mais são do que uma adaptação de uma receita que já publiquei aqui - a dos brownies de M&Ms, que, por sua vez, são uma adaptação dos brownies que faço com mais frequência em casa.

Eu os preparei outro dia para o aniversário de um amigo no trabalho e causaram tamanho furor que quis fazer um repeteco na festa junina da repartição. Literalmente, não deu para quem quis.

Agora, atendendo a pedidos, eis a receita!

Brownies de doce de leite
Receita adaptada daqui

Ingredientes: 

150g de manteiga sem sal, temperatura ambiente e picada
150g de chocolate amargo picadinho (usei um com 70% de cacau)
180g de açúcar refinado
50g de açúcar mascavo claro
3 ovos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
150g de farinha de trigo
¼ colher (chá) de sal
200g de doce de leite*

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma assadeira retangular com 26 cm X 17 cm e forre-a com papel manteiga (deixe sobras de papel dos lados para servirem como 'alças' na hora de desenformar). Unte o papel também - mas não as alças.

Derreta juntos a manteiga e o chocolate: acomode-os em uma panela de fundo grosso, em fogo baixinho, e mexa vigorosamente o tempo todo para não deixar queimar. Quando eles estiverem parcialmente derretidos, remova a panela do fogo e continue mexendo até que o derretimento esteja concluído.

Com um batedor de arame, incorpore os açúcares à mistura de chocolate derretido. Verifique então se a temperatura da mistura já está morna. Se estiver, junte os ovos, um a um, mexendo bem a cada adição. Some a baunilha. Peneire a farinha e o sal sobre a mistura e incorpore gentilmente com uma espátula de silicone, mexendo de baixo para cima, até que não haja mais farinha aparente.

Despeje metade da massa na forma preparada. Alise a superfície. Com uma colher de chá, distribua colheradas de doce de leite pela massa, reservando um pouco para a decoração. Cubra o doce de leite com o restante da massa de brownie (na medida do possível, claro - a massa é densa e tende a levar embora um pouco do doce). Alise de novo a superfície e espalhe nela o restante do doce de leite. Deslize a ponta de uma faca pelo brownie para criar um efeito marmorizado.

Asse por 20-30 minutos ou até que as laterais e o topo estejam sequinhos, mas com o centro ainda úmido. Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Corte em quadradinhos para servir.

Brownies de doce de leite

Observações finais:

* Use o melhor doce de leite que encontrar. Se gostar daquele que a gente prepara cozinhando uma lata de leite condensado na panela de pressão, fique à vontade. Se gosta de doce de leite argentino ou de cajeta (aquele uruguaio com leite de cabra), vá em frente. O meu preferido - e o que eu gosto de usar - é o mineiríssimo Viçosa (na minha humilde opinião, o Olimpo do doce de leite).

* Achou o método de derretimento do chocolate muito temerário? Derreta então no micro-ondas ou em banho-maria.

* Para receitas de brownie desse tamanho, eu sempre prefiro usar assadeiras de alumínio descartáveis de 1,5 L. Além de morrer de preguiça de lavar assadeiras, eu sou ciumenta demais com as minhas formas.

* Já participou da pesquisa de opinião? É bem rapidinho - em menos de 5 minutos, você termina. E ainda pode concorrer a um kit com dois livros do Gordon Ramsay! Clique aqui e participe!

Picadillo - carne moída com gostinho cubano

sábado, 24 de junho de 2017

Estou firme no meu propósito de colocar a panela elétrica de cozimento lento em uso. Tenho pesquisado e testado muitos pratos, e adorado os resultados.

A receita de hoje é picadillo cubano, uma receita deliciosa e super aromática de carne moída. Nas pesquisas que fiz para escrever este post, descobri que o picadillo também pode levar canela, uma pitadinha de cravo e noz moscada, alcaparras e uvas-passas. Nem preciso dizer que vou preparar novamente com tudo isso, né?

De qualquer forma, com ou sem passas, é bom demais. Agradou em cheio o hômi, meu chatinho provador preferido, e tem tudo para agradar você também.

Picadillo.
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

1 fio de azeite
1 kg de carne moída magra
1 xícara de cebola picadinha
1 xícara de pimentão vermelho picadinho
3 dentes de alho picadinhos
1/4 de xícara de coentro fresco picado (não tinha, não usei)
1 tomate pequeno picadinho (usei 12 tomates tipo uva)
1 lata de 240 g de molho de tomate*
1/4 de xícara de azeitonas verdes (usei picadas)
1 1/2 colheres (chá) de cominho em pó
1/4 de colher (chá) de alho em pó (não tinha, não usei)
2 folhas de louro
Pimenta moída na hora e sal, a gosto

Modo de preparo:

Em uma frigideira grande, aqueça um fio de azeite e doure a carne em fogo médio-alto. Tempere generosamente com sal e um pouco de pimenta. Mexa ocasionalmente, partindo os grumos grandes com uma colher de pau.

Quando a carne já tiver perdido a cor rosada, escorra o excesso de líquido da carne e adicione a cebola, o alho e o pimentão. Deixe cozinhar por mais 3-4 minutos.

Transfira o conteúdo da frigideira para a panela de cozimento lento, adicione o restante dos ingredientes mais 1 1/4 de xícara de água, misture bem e ajuste a temperatura para 3-4 horas, em temperatura alta, ou 6-8 horas, em temperatura baixa (eu fiz em temperatura alta por 3h30).

Depois de pronta, descarte as folhas de louro, acerte o tempero (sal, pimenta e, eventualmente, um pouquinho mais de cominho em pó) e misture bem. Sirva com coentro fresco picado acompanhado de arroz branco.

Picadillo

Observações finais:

* Aqui em casa, molho de tomate industrializado não tem mais vez há muitos anos. Como eu não tinha molho de tomate caseiro pronto, bati no liquidificador 1 lata de tomate pelado (240g), 1/2 cenoura média, 1/2 cebola pequena, 3 tâmaras e 1/2 colher de chá de sal.

* Já participou da pesquisa de opinião? É bem rapidinho - em menos de 5 minutos, você termina. E ainda pode concorrer a um kit com dois livros do Gordon Ramsay! Clique aqui e participe!

Printfriendly