Salada de abobrinha, pera e erva-doce

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Mais uma salada de abobrinha? Sim! Gostei tanto de comer abobrinha crua que quis repetir a experiência em outra receita. Esta, do Jamie Oliver, tinha grande chance de me agradar, com o toque adocicado da pera. Mas havia um endro no meio do caminho.

Endro, conhece? Ele também é chamado de dill. É a erva bonitinha e descabelada que aparece na foto. O danado não foi fácil de achar. E sabe do que mais? Acabou sendo o único detalhe que eu não curti na salada.

Mas, como a combinação abobrinha + pera + molho de iogurte e hortelã ficou muito boa, resolvi repetir a receita com erva-doce, minha amada erva-doce. Nooooossa que coisa boa.

Daí que eu sugiro a você: Dê uma chance a esta salada. Se você curtir endro, segure na mão do Jamie e vá em frente. Se não curtir, faça como eu: aposte na erva-doce. Pode acrescentar só as folhinhas, como foi feito com o endro. Mas eu recomendo que você adicione também um pouco da parte branca, cortada fininho. Fica mara.

Salada de Abobrinha, Pera e Endro
Receita livremente adaptada daqui

Ingredientes (para 3 a 4 pessoas):

Para a salada:
1 abobrinha italiana média
1 pera grande
1 punhado de folhinhas de erva-doce/funcho
1 'pétala' do bulbo da erva-doce/funcho (a parte branca)

Para o molho:
4 colheres (sopa) de iogurte natural
1 colher (sopa) de vinagre de vinho branco
1 colher (chá) de mostarda Dijon
1 colher (sopa) de folhas de hortelã fresco
Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Para servir:
Folhas da sua hortaliça preferida (eu usei radicchio)
Castanha tostada e moída (a que você mais gostar - opcional)

Modo de preparo:

O primeiro passo é cortar a abobrinha em rodelas bem finas (use uma mandolina). Salpique sal e deixe descansar por 15 minutos. Passado esse tempo, esprema as rodelas com delicadeza para que elas soltem água. Solte as fatias umas das outras e reserve.

Fatie a pera finamente, deixando as fatias em água com algumas gotas de vinagre branco ou suco de limão. Reserve também.

Por fim, destaque os raminhos das folhas de erva-doce. Fatie finamente o bulbo também.

Agora, prepare o molho. Junte todos os ingredientes (menos o sal) no copo do mini-processador e bata até ficar uniforme. Prove e acerte o sal. Não tem mini-processador? Sem problema! Numa tigelinha, combine o iogurte, o vinagre e a mostarda. Acrescente o hortelã picado bem fininho e a pimenta moída. Misture bem, prove e acerte o sal.

Escorra as fatias de pera e combine-as à abobrinha e à erva-doce, misturando tudo delicadamente com as mãos. Disponha a salada no prato de servir, sobre uma cama de folhas. Regue com o molho, salpique as castanhas e sirva em seguida. Ou, se preferir, deixe molho e castanhas à parte, para que cada um se sirva como desejar.

Observação final:

A salada da foto ainda é a da primeira vez que preparei, com endro. Acabei não fotografando a versão com erva-doce porque a preparei à noite. Mas fica bonita igual.

Bolo de chocolate com beterraba (tamanho família)

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Há alguns dias, meus pequenos completaram 4 anos. Chega a ser engraçado como eles perderam o jeito de bebês ao longo do último ano. Mudou a composição corporal, o comprimento das pernas, o volume das bochechas. Começou uma falação sem fim, com direito a muitas histórias malucas e argumentações desconsertantes. Suas personalidades ficaram bem evidentes - assim como seus generosos corações.

Como eles já estão no pré, a escola finalmente liberou que levássemos um bolinho caseiro simples para que eles comemorassem o aniversário com os coleguinhas. Fiz seu bolo preferido: o de chocolate com beterraba, que vira e mexe pinta no Instagram. A receita, originalmente pequena, precisou passar por algumas adaptações para virar bolão.

Confesso que fiquei apreensiva quando cheguei na escola - gosto de testar as receitas quando vou oferecê-las a públicos mais exigentes, e dessa vez não tive tempo. Mas, no final, deu tudo certo. O bolo ficou ótimo e as crianças gostaram.

Bolo de chocolate com beterraba
Receita adaptada de outra desta cozinha ;-)

Ingredientes:

Para o bolo:
4 ovos
480 g de beterraba em cubos, cozida e fria
320 g de açúcar
160 g de óleo vegetal de sabor suave (eu normalmente uso de canola)
1 colher (chá) de extrato de baunilha
80 g de cacau em pó (use um de excelente qualidade!)
170 g de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento químico em pó
1 pitada de sal

Para a cobertura:
125 mL de água
15 g de cacau em pó
100 g de açúcar cristal
75 g chocolate meio amargo picado (usei um 70% sem lactose)

Modo de preparo:

Ligue o forno a 180ºC. Unte com óleo vegetal uma forma de anel com capacidade para 10 xícaras. Polvilhe-a com farinha de trigo e reserve.

Numa tigela grande, peneire a farinha de trigo, o cacau em pó, o fermento químico e o sal. Misture bem com um fouet e reserve também.

No copo do liquidificador, junte a beterraba cozida (fria), os ovos, o óleo, o açúcar e a baunilha e bata bem até obter um creme bem liso e homogêneo (a cor é linda de morrer, mas não se anime - o bolo não vai ficar rosa).

Verta o conteúdo do copo de liquidificador sobre a mistura de ingredientes secos e envolva delicadamente até a massa ficar uniforme e cor de chocolate.

Deite a massa na forma preparada e leve ao forno. Quando sentir um cheiro divino de bolo de chocolate, comece a fazer o teste do palito. O objetivo é que o palito saia quase limpo - não precisa ser limpíssimo, esse é um bolo mais úmido. No meu forno, o tempo total foi cerca de 1 hora.

Retire o bolo do forno e deixe esfriar sobre uma grade.

Enquanto isso, faça a cobertura. Numa panela média, adicione a água, o cacau em pó e o açúcar. Misture bem com um fouet para dissolver e leve ao fogo baixo até ferver (fique de olho, mexendo sempre, pois a calda sobe quando ferve - mas calma, ela abaixa depois).

Passados uns 10 minutos de fervura, a calda estará espessa como aquelas industrializadas, para sorvete. Desligue o fogo e adicione o chocolate, mexendo até ficar uniforme.

Desenforme o bolo no prato de servir e derrame sobre ele a calda ainda quente. Deixe esfriar até chegar à temperatura ambiente.

Observações finais:

* Fiz o bolo sem leite ou derivados porque Alice tem uma leve intolerância à lactose.

* Meus filhos estão acostumados com chocolate amargo, mas algumas crianças estranharam o paladar menos infantil da cobertura. Assim, se for servir este bolo para crianças, avalie a necessidade de colocar mais açúcar na cobertura (ou de trocar o cacau por chocolate em pó). Um chocolate mais doce também pode funcionar.

Frango ao gengibre (shogayaki)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Quem aí é marmiteiro? Eu sou - por necessidade e por gosto. Como trabalho em horário corrido, preciso comer rapidinho, frequentemente diante do computador. Poderia me virar com restaurantes delivery, mas não curto muito - é caro, demorado e, muitas vezes, decepcionante. Aí, acabo preferindo trazer minha comida de casa.

A lancheira térmica que uso no dia a dia é daquelas com plaquinhas de gel embutidas, que a gente guarda dobradinhas, no freezer. Ela é ótima, super compacta. Mas exige que eu acondicione minha comida em potinhos pequenos. E, claro, que eu dê preferência a refeições que funcionam bem nesses potinhos.

Bife à parmegiana, por exemplo, é uma delícia, mas pense na encrenca que é cortá-lo em um pote pequenino. Batata recheada é pura lindeza, mas no pote só cabe uma, bem esmagada e sem mais nada. Sacou o drama? Isso me faz alguém que curte muito receitas que são fáceis de acondicionar e que não exijam mais do que um garfo (ou hashi) para serem comidas. Como este franguinho delicioso.

Essa é uma daquelas receitas que você faz num instante - perfeita para mim, que só consigo cozinhar durante a semana depois que as crianças já dormiram. Tudo que você vai precisar é de um liquidificador, uma frigideira grande (se tiver uma wok, melhor ainda) e alguns ingredientes disponíveis nos mercadinhos japoneses ou nas gôndolas de produtos orientais do supermercado.

A receita original é da mãe da querida Irene, do blog Danni e Lype. Da próxima vez que eu preparar (ahn, toda semana? Hahaha), quero colocar um pouco mais de gengibre - adooooro gengibre. E, talvez, diminuir um pouco a quantidade de shoyu (para o meu paladar, poderia ser um pouquinho menos).

Shogayaki de frango
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

1 cebola grande
1 pedaço de gengibre (aproximadamente 5 cm de comprimento)
1/2 xícara de molho de soja (shoyu) - penso em reduzir para 1/3 de xícara
1/2 xícara de azeite de oliva
1/3 de xícara de saquê mirin (licoroso)
2 colheres (sopa) de vinagre de arroz
1 dente de alho médio
1 colher (chá) de açúcar
2 colheres (sopa) de manteiga
800 gramas de peito de frango em tiras
Cebolinha picadinha para servir

Modo de preparo:

Descasque e divida o gengibre no meio. Reserve uma das metades. A outra, corte em tirinhas bem finas. Descasque também o alho e a cebola (corte-a em pedaços médios).

Bata no liquidificador a cebola, a metade reservada do gengibre, o shoyu, o azeite, o saquê, o vinagre de arroz, o dente de alho e o açúcar até ficar bem uniforme. Reserve.

Em uma frigideira grande (usei uma wok imensa), derreta uma colher de sopa de manteiga e frite o gengibre em tirinhas até ele liberar seu perfume. Adicione então 1/4 do frango. Deixe que as tirinhas dourem bem. Acomode o frango já pronto nos cantos da frigideira (se a sua frigideira for pequena, remova-o para um prato) e acrescente mais 1/4 do frango. Deixe que doure e novamente acomode dos lados da frigideira ou remova para o prato.

Adicione à frigideira o restante da manteiga, deixe que derreta e repita o processo até que todo o frango esteja douradinho. Depois que todo o frango estiver pronto, devolva-o à panela (se precisou removê-lo, claro), adicione a mistura do liquidificador e deixe cozinhar até o molho reduzir e ficar mais denso.

Sirva quente, com cebolinha picada por cima e arroz branco com furikake (um condimento japonês a base de peixe seco e algas) para acompanhar.

Observação final:

Se você olhar a receita original, verá que eu quadrupliquei a quantidade de frango, mas só dobrei a quantidade de molho. Prefiro o meu shogayaki com menos molho (até para diminuir o risco de espirrar na minha roupa e eu ter que trabalhar o resto do dia manchada). Mas faça como achar melhor.

Bolo de pera com farinha de rosca

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Outro dia, enquanto rodopiava pela cozinha com uma varinha de condão na mão, Alice me contou, muito faceira: "minha fruta preferida é pera!". Mãe besta que sou, já me animei, pensando que a filhota começara a redescobrir o amor pelas frutas. Corri para o mercadinho e comprei uma caixinha de peras ercolini - aquelas pequeninas e bonitinhas.

Ofereci a perinha inteira - não quis. Cortei em pedaços - outra recusa. Descasquei, cortei em cubinhos e servi espetada com palitinhos decorados - "que lindo, mamãe". Só. Não comeu um mísero pedaço. Felizmente, Gabriel é bom de garfo e deu cabo da pobre fruta.

Continuei insistindo dias seguidos, mas ela graciosamente recusava todas as minhas ofertas. Até que, ouvindo a TV, descobri: "minha fruta preferida é pera" é a fala de algum personagem de desenho animado, não uma opinião dela. ¬¬

Ótimo. Agora eu já sabia que daquele mato demoraria a sair coelho. O problema é que as peras já estavam ficando muito maduras. O que fazer, o que fazer? Se você me conhece, sabe que a resposta provavelmente vai ser... BOLO!

Fuçando por aí, descobri uma receita de bolo de maçã do Daniel Bork (do programa de TV Dia a Dia) que me pareceu uma referência interessante. Usava farinha de rosca, ó que diferente!

Virei, mexi e me saí com um bolinho delícia, perfumadíssimo, que faz qualquer pausa para o café virar um momento especial. Aproveite que fevereiro é tempo de pera e vem comigo!

Bolo de pera com farinha de rosca - grande
Inspiração daqui

Ingredientes:

3 ovos
5 peras pequenas picadas
3/4 de xícara de óleo
3/4 de xícara de açúcar (se gostar mais doce, aumente para 1 xícara)
2 xícaras de farinha de rosca
1/4 de xícara de uvas-passas
1/4 de xícara de mel
1 colher (chá) de canela
2 colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal

Cobertura:
3 peras pequenas fatiadas com o mandoline (ou quantas você achar necessárias)
1 1/2 colheres (sopa) de açúcar misturadas com 1/4 de colher (chá) de canela em pó

Modo de preparo:

Unte com óleo e polvilhe com farinha de rosca (ou farinha de trigo) uma forma de bolo inglês média a grande. Ligue o forno a 180ºC.

Em uma tigela grande, misture com um fouet a farinha de rosca, o açúcar, a canela, o sal e o fermento em pó.

No liquidificador, bata os ovos com o óleo, o mel e as peras até ficar bem uniforme.

Despeje a mistura do liquidificador sobre os ingredientes secos e misture com uma espátula de silicone até obter uma massa homogênea, com consistência semelhante a de um mingau. Some então as passas, envolvendo delicadamente até distribuí-las na massa.

Verta a massa na assadeira previamente preparada. Alise a superfície com o auxílio de uma espátula. Sobre ela, distribua as fatias de pera. Polvilhe tudo com a mistura de açúcar com canela.

Leve ao forno até que o bolo passe no teste do palito. Deixe esfriar, corte em fatias e sirva.

Bolo de pera com farinha de rosca

Observações finais:

* Usei uma assadeira descartável um pouco menor do que a média de bolo inglês e fiquei com massa suficiente para ela e mais 3 mini-forminhas (como as da foto logo acima).

* Gostou das forminhas? São de uma loja online chamada Confeiteiro Store. São ótimas! E não, eu não estou ganhando nada para divulgá-las (mas bem que poderia, néam). Conheci no Instagram e me apaixonei!

* Eu não fiz, mas recomendo que você faça: para um gosto mais pronunciado de peras, acrescente à massa uma a duas perinhas sem casca, em cubinhos, junto com as passas. É o que eu pretendo fazer da próxima vez que comprar peras (ou cair no conto da fruta preferida) ;-)

Palha italiana de limão e chocolate branco

sábado, 28 de janeiro de 2017

A história começa assim: no final do ano passado, precisávamos passar em um desses mercados que vende produtos no atacado. Não tínhamos com quem deixar as crianças e os levamos junto. Lá pelas tantas, na fila do caixa, os bichinhos estavam num mau humor terrível. Até que avistaram umas latas de biscoito decoradas. Com pena, o pai cedeu e comprou uma pra cada.

Você comeu os biscoitos? Eles também não. Ficaram bem felizes com a cartela de adesivos que vinha dentro da lata, mas desprezaram totalmente o conteúdo comestível. E aí eu terminei com duas latas gigantes entulhando a minha pequena despensa.

Há algumas semanas, no entanto, minha paciência com aquele mundaréu de biscoito acabou. Resolvi dar um fim neles. Um fim digno e doce. Palha italiana! De limão e chocolate branco, que é uma combinação linda de sabores.

A receita foi inspirada em duas outras da querida Luciana Goto, do canal do Youtube Daisuki Doces. E ó, ficou INCRÍVEL.

Tem biscoito sobrando aí na sua casa? Faz palha italiana! Garanto que acaba rapidinho.

Palha Italiana de Limão
Receita adaptada daqui e daqui

Ingredientes:

1/2 colher (sopa) de farinha de trigo
100 mL de creme de leite
1 lata de leite condensado (395 g)
1 colher (sopa) de manteiga sem sal
50 g de chocolate branco picado
2 colheres (sopa) de suco de limão
2 colheres (sopa) de raspas de limão (só a parte verde)
180 g de biscoitos amanteigados quebrados em pedacinhos
Açúcar refinado quanto baste

Modo de preparo:

Forre com filme plástico uma forma grande de pão de forma (32,3 cm X 12,5 cm), deixando sobrar em todos os lados. Se quiser, unte a superfície do filme plástico (em teoria, não precisa, mas eu não curto me arriscar com palha italiana).

Numa panela de fundo grosso, adicione a farinha de trigo e o creme de leite. Com um fouet, misture bem até que não haja mais gruminhos de farinha. Acrescente o leite condensado, a manteiga e o chocolate branco. Ligue o fogo baixo.

Mexa constantemente com uma colher de pau ou espátula de silicone até o brigadeiro 'dar ponto' (veja a Luciana ensinar qual é o ponto). Apague o fogo e some o suco e as raspas de limão. Mexa até homogeneizar. Em seguida, acrescente o biscoito picado, envolvendo delicadamente até distribui-lo bem.

Despeje a massa na forma preparada, alisando-a com o auxílio de uma colher. Cubra toda a superfície com filme plástico. Aproveite para comprimir o doce e deixá-lo bem retinho.

Espere amornar e então leve à geladeira por pelo menos 2 horas (eu sempre deixo de um dia para o outro).

Na hora de cortar, puxe as sobras de filme plástico para erguer o doce da assadeira. Coloque-o sobre uma tábua de cortar pão e remova o filme plástico da superfície. Com uma faca grande, corte o doce em quadrados de mesmo tamanho. Role cada quadrado em açúcar refinado. Sirva(-se) em seguida.

Observações finais:

* "Eca, e essa farinha?" Essa farinha é que deixa a palha italiana fácil de cortar. E não se preocupe: não fica gosto nenhum, nem textura esquisita. Só gruda menos na faca (e poupa os seus nervos).

* "Tem que ser açúcar refinado?" Eu testei outras variedades de açúcar na palha italiana - cristal, de confeiteiro, demerara. O refinado foi o que me deu o melhor acabamento. Mas fica a seu critério.

* Prefere limão siciliano? Vá em frente, vai ficar ótimo!

Salada de abobrinha crua da Bela Gil

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Descobri minha forma preferida de comer abobrinha - é esta salada da Bela Gil. Calma, antes que você torça o nariz só porque não gosta das substituições pouco usuais da moça, saiba que essa salada não tem nada de diferentão. É só abobrinha e ervas frescas, temperadas com um molho simples de limão, azeite, sal e um toque de pimenta.

Mas é um sonho. É crocante sem ser dura, é levinha, saborosa até não mais poder. Eu como quase metade dela enquanto estou terminando de preparar (contei que é facílima de preparar?). Mas, se você conseguir se conter melhor do que eu, esta salada pode acompanhar uma omelete numa refeição leve, pode ser servida sobre fatias de pão italiano torrado... e pode ser só uma saladinha companheira do tomate e da alface, né?

Faça aí na sua casa. Você não vai se arrepender.

Salada de abobrinha da Bela Gil
Receita daqui

Ingredientes:

2 abobrinhas
1/4 de xícara de cebolinha picada
2 colheres (sopa) de orégano fresco
3 colheres (sopa) de manjericão picado
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
Suco de 1 limão
Sal - umas 4 pitadas
Uma pitada de pimenta-caiena ou de pimenta-do-reino moída

Modo de preparo:

Corte as abobrinhas em fatias finas com o auxílio da mandolina (tem que ficar fino mesmo - em torno de 1,5 mm). Acomode-as em uma tigela média e salpique um pouco de sal (3 pitadas), misturando delicadamente para espalhar por toda a superfície. Deixe descansar por 15 a 30 minutos.

Enquanto isso, aproveite desfolhar o orégano e picar a cebolinha e o manjericão.

Pegue porções da abobrinha e esprema bem com as mãos, tomando cuidado para não rasgar as fatias. Vai soltar bastante líquido - descarte-o.

Acomode a abobrinha novamente na tigela. Junte as ervas frescas, o azeite, o suco de limão e a pimenta-caiena e misture delicadamente (eu sugiro que você o faça com as mãos para não maltratar a abobrinha). Prove e retifique o sal, se necessário.

Sirva em seguida. Mas não tem drama maior se não consumir tudo no mesmo dia - ela fica boa pra ser consumida no dia seguinte (só as ervas que podem ficar menos vistosas, mas o sabor é igual).

Bolo de limão taiti com um toque de manjericão

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Cada um sabe de si e do tamanho de suas dores. E cada um lida com essas dores da forma que consegue, por mais que a gente não entenda ou não concorde.

Há exatamente um mês, um amigo partiu prematuramente buscando encontrar um pouco de alívio.

Todo dia dedico um minutinho enviando boas vibrações pra você onde quer que esteja, J.. E, hoje, celebro o tempo que você passou conosco com um bolinho, que você tanto gostava.

Bolo encharcado de limão
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

100g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
100g de farinha de amêndoa
1 colher (sopa) de folhas de manjericão fresco
200g de açúcar
1 pitada de sal
150mL de óleo vegetal de sabor suave (usei canola)
Raspas da casca de 2 limões taiti
4 ovos
½ colher (chá) de extrato de baunilha

Calda: 
100g de açúcar
O suco dos dois limões usados no bolo
1 colher (sopa) de folhas de manjericão fresco

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma de bolo inglês média, forre-a com papel manteiga e unte o papel também (ou use uma forma descartável de alumínio ou papel).

Em uma tigela grande, peneire a farinha de trigo, o fermento e o sal, e então misture a farinha de amêndoa. Reserve.

No liquidificador, junte os ovos, o óleo, o extrato de baunilha, o açúcar e o manjericão. Bata muito bem por uns 2 minutos, até obter uma mistura bem homogênea.

Despeje a mistura do liquidificador sobre os ingredientes secos, envolvendo delicadamente até que a massa fique uniforme. Transfira a massa para a forma preparada e asse por cerca de 45 minutos, ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).

Quando o bolo estiver quase pronto, faça a calda: em uma panelinha, junte o açúcar e o suco de limão. Leve ao fogo médio, mexendo, até o açúcar dissolver. Junte as folhas de manjericão e ferva por 1 minuto. Retire do fogo e coe para uma tigelinha.

Assim que o bolo sair do forno, faça furinhos em toda a sua extensão usando um palito de dentes. Com o auxílio de uma colher, despeje a calda sobre o bolo, aguardando cada porção ser absorvida antes de derramar mais calda.

Deixe esfriar completamente antes de desenformar e servir.

Observações finais:

* Não se assuste com o uso do manjericão em uma receita doce. Fica sutil, mas super gostoso. Ah, e a massa não fica verde.

* Escolhi usar o manjericão neste bolo ao lembrar de uma conversa com um amigo. Ele é famoso por preparar ótimos mojitos (um coquetel com rum, limão e hortelã). Um dia, preparando uns bons drinks, ele se viu sem hortelã, mas com manjericão fresco por perto. Resolveu arriscar e adorou o resultado (e fica bom mesmo)!

Printfriendly