Bolo de banana com farinha de rosca

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Sou uma pessoa que gosta de bolo de banana. Só não sabia que gostava tanto: fiz as contas e descobri que há 11 receitas diferentes de bolo de banana no blog (uma delas com 4 versões diferentes), mais 6 bolinhos e muffins. Ainda assim, eu sentia que faltava um passo importante na minha formação bananabolística: o bolo de banana com farinha de rosca. Mas estava disposta a deixar quieto, até que...

Em casa, as crianças não costumam rejeitar bolo de banana, embora não seja o seu preferido. Mas, reza a lenda, na creche, elas comem até cair pra trás, não deixam sobrar um farelinho. Como assim, Bial? #maeloucaenciumadadetectada

Fui atrás de saber o que o bolo de banana da creche tinha de tão especial. A resposta: "ah, é um bolo normal, com farinha de rosca". Pronto, surgiu a motivação que faltava.

Pesquisei pelas internets uma boa receita de bolo de banana com farinha de rosca e deparei com a da caprichosa Marly, boleira de mão cheia (visitem o blog dela pra ver como eu não estou exagerando). Aproveitei uma raríssima tarde livre e preparei.

Finalmente entendi qual é o barato do bolo, gente. Ele é muito simples, sem cobertura ou recheio - mas é tão macio e úmido... as bananas têm o destaque que merecem. E o que é o cheiro dele assando, minha gente. Como gosto muito de passas no bolo de banana, eu as acrescentei, mas não precisa: ele é muito bom sem elas também.

Já entrou para a lista de receitas preferidas da galerinha de casa. Prove aí, que ele certamente vai entrar para a sua, também.

Bolo de banana com farinha de roscaReceita minimamente adaptada daqui

Ingredientes:

4 bananas bem maduras (uso prata)
3 ovos
1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de farinha de rosca
1/2 xícara (chá) de óleo de cozinha (uso canola)
1 colher (sopa) de fermento em pó
Especiarias - 1 colher (chá) de canela em pó (ou mais, a gosto) + 1/2 colher (chá) de cravo em pó + 1/2 colher (chá) rasa de noz-moscada moída (uso 1 colher de chá do mix de especiarias para pão de mel da Bombay, que tem tudo isso + erva-doce)
Opcional - 1/2 xícara de passas sem sementes (eu e as crianças gostamos muito de passas)

Modo de preparo:

Ligue o forno à temperatura de 180ºC. Unte e enfarinhe (com farinha de rosca) uma forma redonda, de buraco no centro, com 20 cm de diâmetro (nas observações finais, eu explico porque meu bolo virou um monte de bolinhos - 18, para ser mais precisa).

Descasque e amasse as bananas num prato, com um garfo, e reserve-as.  Bata os ovos com o açúcar e o óleo (esta operação pode ser feita à mão, numa tigela, usando um fouet; na batedeira; ou no liquidificador).

Junte os demais ingredientes, misture bem e ponha a massa na forma preparada. Leve a forma ao forno por uns 25/30 minutos (ou até que o bolo passe no teste do palito).

Observações finais:

Como eu evito comer bolo com frequência (quem te viu, quem te vê, dona Letrícia) e as crianças costumam enjoar de um sabor se o comem seguidamente, gosto de assar os bolos de casa em forminhas de muffin revestidas com formas de papel. Assim que eles esfriam totalmente, acondiciono em caixas de congelamento e levo ao freezer.

Assim, não preciso untar nada e tenho pequenas porções de bolo fresquinho para o lanche deles - basta tirar do freezer pela manhã, antes de ir para o trabalho, e deixar na geladeira. À tarde, os bolinhos estão prontos para consumo (deixo 15 minutos em temperatura ambiente só para eles ficarem mais fofinhos ainda).

Bolo de mel com maçãs carameladas

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Bolo de mel com maçãs carameladas

Bom diaaaaaa! Depois de quase 20 dias de ausência, cá estou eu de novo tirando a poeira das cadeiras e coando um café para receber você! Está notando o bronzeado? Não? Pra falar a verdade, nem eu noto direito, mas o fato é que eu sumi daqui porque viajei de férias com as crianças - fomos à praia. Eles adoraram!

Em meu retorno, deixo aqui um bolo sensacional tia Martha - na verdade, uma adaptação dele. Preparei-o em homenagem a amigos judeus muito queridos, que nesta quinta comemoraram o início do ano de 5775 (Rosh Hashaná). Na tradição judaica, come-se maçã com mel nessa ocasião para que o ano novo seja doce.

A receita original pedia peras anjou vermelhas e forma redonda de fundo removível com 25 cm de diâmetro, mas resolvi adaptá-la às minhas necessidades (usei maçãs gala e duas formas de anel com 20 cm de diâmetro). O resultado não podia ser mais feliz: dois bolinhos delicados, aromáticos, muito macios e com um sabor incrível. E, o que é melhor, bastante simples de fazer.

Prove hoje mesmo! Mesmo que não seja Rosh Hashaná. Mesmo que você não seja judeu. Todo dia pode ser o primeiro de um novo tempo na vida. E que ele seja tão doce como você merece.

Bolo de mel com maçãs carameladas
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

Para o bolo:
Manteiga sem sal amolecida para untar as formas
1 3/4 xícaras de farinha de trigo (mais um pouquinho para as assadeiras)
3/4 de colher (chá) de fermento em pó (usei 1 colher de chá porque precisei suprimir o bicarbonato)
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio (não tinha em casa)
1 colher (chá) de sal moído (usei 1/2 colher de chá de sal marinho fino mesmo)
1/2 colher (chá) de canela em pó
2 ovos grandes
1/2 xícara de açúcar cristal (usei demerara)
1/4 de xícara de açúcar mascavo claro
1/2 xícara + 2 colheres (sopa) de mel (o melhor que você puder encontrar - usei um neozelandês mara dessa marca aqui)
1/2 xícara de leite (usei desnatado)
1/2 xícara de óleo vegetal (usei canola)
1/2 colher (chá) de raspas de limão siciliano

Para a cobertura:
1 colher (sopa) de manteiga sem sal
750g de maçãs gala cortadas em meias-luas com 5 mm de espessura (a receita original levava peras anjou vermelhas)
1/4 de xícara de açúcar (usei demerara)
1/4 de xícara de mel

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 160ºC. Unte e enfarinhe uma forma de fundo removível de 25 cm de diâmetro (usei duas de anel com 20 cm de diâmetro).

Em uma tigela, misture a farinha, o fermento e o bicarbonato, o sal e a canela; reserve.

Na batedeira equipada com acessório de pá, bata os ovos e os açúcares por cerca de 3 minutos, até ficar obter um creme claro e espesso.

Em uma tigelinha, misture o mel, o leite, o óleo e as raspas de limão. Com a batedeira em velocidade baixa, adicione a mistura de mel à de ovos; bata até incorporar, cerca de 1 minuto. Acrescente então metade da mistura de farinha; bata até ficar homogêneo. Por fim, incorpore o restante.

Deite a massa na(s) forma(s) preparada(s) e leve ao forno até o bolo dourar e passar no teste do palito (o cheiro - divino - deve avisar quando esse momento chegar).

Deixe o bolo esfriar sobre uma grade por pelo menos 15 minutos antes de desenformá-lo no prato de servir - aproveite esse período para preparar a cobertura de maçãs.

Vamos lá? Primeiro, derreta a manteiga em fogo médio, em uma frigideira grande (lembre-se - é quase 1 kg de maçãs). Adicione o açúcar e cozinhe, mexendo sempre, até quase dissolvê-lo (1 a 2 minutos).

Adicione então as maçãs e cozinhe, mexendo ocasionalmente, até ficarem macias e douradas (12 a 20 minutos). Acrescente o mel e misture, deixando cozinhar por mais 3 a 5 minutos, até que as maçãs estejam cobertas com a calda e muito macias.

Deixe as maçãs esfriarem ligeiramente e então cubra o bolo com elas (use um garfo para dispor as frutas e deite a calda restante sobre elas). Se quiser, sirva com chantilly.

Observações finais:

O bolo (sem a cobertura de maçãs) pode ser feito um dia antes e guardado coberto com filme plástico em temperatura ambiente (eu fiz isso - nem tirei da assadeira).

Sem glúten, sem lactose

domingo, 7 de setembro de 2014

Quando falta tempo para posts novos, o que sobra? Coletânea!

Esta aqui é dedicada a quem tem alergia ou intolerância a glúten e lactose. Mesmo quem não precisa seguir dietas especiais vai passar bem com essa seleção de gostosuras.

Duas observações importantes:

* Para receitas com chocolate, certifique-se de que o que você vai usar não contenha traços de leite. Até agora, soube desses dois aqui, de fabricação nacional.

* Para receitas com aveia, dê preferência à aveia sem glúten certificada (por enquanto, só conheço desta marca aqui).

Agora vamos às receitas!

1. Bolo de mandioca com coco: eu sei, esse bolo aqui já apareceu em outra seleção. Mas ele merece, gente. É de liquidificador, facinho de preparar, e fica uma delícia.

Bolo de mandioca e coco

*********************

2. Bolo molhadinho de milho e coco: minha receita favorita de bolo de milho. Também é de liquidificador e fica um absurdo de bom.

Bolo de milho e coco

*********************

3. Bolo de flocão, milho e coco: quer variar de bolo de milho? Tem esse aqui, que parece ter nascido para acompanhar um café quentinho. Prepare no liquidificador, num instantinho, e vá ser feliz.

Bolo de milho e flocão

*********************

4. Bolo de coco e chocolate: esse bolo foi um verdadeiro achado. Fica super chocolático e delicioso. E também é de liquidificador!

Bolinhos de cacau e coco

*********************

5. Bolo de banana da Martinica: Mais um bolo bom demais! Este é a minha variação preferida do bolo de banana com aveia da Glau.

Bolinhos de banana e aveia da Martinica

*********************

6. Brownies de abacate: uma receita que vai ganhar o coração de quem não pode com glúten ou lactose.

Avocado brownies

Brownies com azeite de oliva

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Depois que saboreou os melhores brownies de sua vida, o hômi ficou meio besta chato exigente. Todo brownie que ele come é comparado com os ditos cujos (e sai derrotado, invariavelmente). Foi o caso desses bonitinhos da foto, que desejei desde a primeira vez que ouvi a Pat falar deles, lááááá no fim de junho.

Da primeira vez em que os preparei, resolvi suprimir o cacau em pó, já que estava usando um chocolate com teor de cacau mais alto (70%). O hômi provou, ergueu uma só sobrancelha (acho o máximo quem consegue fazer isso) e fez suas considerações: boa textura, boa umidade, boa aparência, topo quebradiço bacana. Mas falta chocolatice. E sobra um pouquinho de açúcar (é, ele ficou muito bom em avaliar brownies - tem mais quesitos que jurado de desfile de escola de samba).

Provei um pedacinho e tive de dar o braço a torcer: ele tinha razão. Refiz a receita, diminuindo um tiquinho a quantidade de açúcar a acrescentando cacau em pó. Para mim, ficou perfeito. Para o meu crítico de brownies, ficou muito bom. Mas não desbanca o melhor :-P

Brownies com azeite de oliva
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

115g de chocolate meio-amargo, picadinho (usei um com 70% de cacau)
1/3 xícara (80ml) de azeite de oliva extra-virgem de sabor frutado
2 ovos grandes, temperatura ambiente
¾ xícara (150g) de açúcar cristal (usei 120 g e foi a conta certa para o nosso paladar)
1 colher (chá) de extrato de baunilha
½ xícara (70g) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar (indispensável, para o nosso gosto)
1/8 colher (chá) de sal

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com óleo uma forma quadrada de 20 cm, forre-a com papel alumínio deixando sobrar em dois lados opostos, formando “alças”, e unte o papel também*.

Derreta o chocolate em banho-maria em uma tigela pequena. Retire do fogo, junte o azeite e misture com um batedor de arame. Deixe esfriar.

Na batedeira, bata os ovos e o açúcar até obter um creme espesso e claro. Incorpore a baunilha e a mistura de chocolate com azeite usando uma espátula e misturando gentilmente, de baixo para cima. Incorpore a farinha, o cacau e o sal da mesma forma. Transfira a massa para a forma preparada e alise a superfície.

Asse por 20-25 minutos ou até que o topo fique craquelado e aparente estar seco, e um palito inserido no centro dos brownies saia levemente úmido. Deixe esfriar completamente antes de cortar em quadradinhos.

Observações finais:

* Como vocês devem ter notado, eu assumi meu lado preguiçoso prático e só tenho usado formas descartáveis de alumínio. É ótimo! Não preciso untar, posso acondicionar no freezer facilmente... e é ótimo para lanches fora de casa! Para esta receita, usei uma forma retangular baixinha, com capacidade para 750 ml.

* Em casa, gostamos de comer este brownie direto da geladeira - ela fica super fudgy!

Boas intenções, miolos moles e pãezinhos de mandioquinha

sábado, 30 de agosto de 2014

Pão de mandioquinha

Tempo livre é algo que está cada vez mais escasso por aqui. Mas, para quem a gente ama, sempre dá para abrir um espacinho, né. Foi com essa bela intenção que eu aproveitei um pedacinho de tarde livre, um bocado de mandioquinha cozida e fiz esses pãezinhos para o hômi. Tinha uma lembrança remota de ele ter se queixado de não encontrá-los mais no supermercado onde costumamos fazer compras.

O hômi recebeu os pãezinhos com surpresa. Comeu dois de uma só tacada, elogiou, mas ficou com uma cara esquisita. Resolvi sondar o que estava acontecendo.

- Você não gostou dos pãezinhos?
- Gostei, sim! Estão muito bons.
- Estão muito diferentes dos que você comprava no supermercado?
- Estão, sim.
- O que exatamente está diferente?
- Os que eu comprava no supermercado eram de abóbora.

Cuén. Depois dessa, fiquem com a receita, que é uma delícia (e que funciona muito melhor do que a minha cabecinha).

Pão de mandioquinha
Receita minimamente do blog da querida Laurinha

Ingredientes:

500 g de farinha de trigo (pode ser que você use um pouco menos - vai depender da mandioquinha)
10 g de fermento biológico seco instantâneo
250 g de mandioquinha cozida e espremida
¼ xícara (chá) de leite
½ xícara (chá) de óleo de canola
1 colher (sopa) de manteiga
2 ovos
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de sal

Modo de preparo:

Vou explicar como preparar esta receita na batedeira, o método que utilizei. Mas se preferir, pode fazer tudo a mão.

Combine o fermento a 300 g de farinha de trigo, misturando bem. Reserve.

Com a batedeira equipada com o gancho para massas, misture os demais ingredientes - mandioquinha, leite, óleo, manteiga, ovos, açúcar e sal. Quando a mistura estiver uniforme, acrescente a farinha de trigo misturada ao fermento às colheradas, com o batedor em velocidade baixa.

Quando a farinha com fermento for toda incorporada, a massa estará bem grudenta. Se a sua batedeira for valente (a minha é), acrescente mais 150 g de farinha, ainda às colheradas, batendo sempre em velocidade lenta. Se a sua batedeira já estiver pedindo arrego, transfira a massa grudenta para a superfície de trabalho e incorpore a farinha manualmente, sovando bem.

Quando a massa estiver lisa, elástica e sem grudar nas mãos, forme uma bola com ela e acomode-a em uma tigela grande, levemente untada. Cubra-a com um plástico (também untado) e deixe em local quentinho, protegido de vento e variações de temperatura.

Quando a massa tiver dobrado de volume, aperte-a com os punhos para extrair o gás acumulado e modele os pãezinhos como preferir (fiz bolotas de cerca de 50 g). Acomode em assadeira untada e enfarinhada, cubra com um pano de prato levemente umedecido (para não ressecar) e deixe crescer novamente até dobrar de volume.

Leve ao forno preaquecido a 180ºC por uns 25 minutos ou até que os pãezinhos fiquem dourados. Deixe esfriar por meia hora antes de comer.

Observação final:

"Por que eu preciso me torturar e esperar 30 infinitos minutos antes de comer o pão, Letrícia?". Não brigue comigo, que tudo tem explicação. Assim que o pão sai do forno, ainda está bem úmido por dentro - se você tenta cortá-lo ou comê-lo, vai reparar que o miolo vai parecer meio grudento.

Se você conseguir esperar, o calor residual que está no pão vai cuidar de evaporar essa umidade. E tchanan, você terá um pão com miolo fofinho para comer! 

Especial "tem legume no meu bolo!"

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Como vocês devem ter notado (ou não), este blog anda meio devagar porque a vida aqui fora está muuuuito corrida. Tenho cozinhado regularmente, testado várias receitas, mas não tem dado tempo de preparar posts novos :-/

Mas quem não tem pão come brioches, e quem não tem post novo faz coletânea! E a de hoje é sobre bolos que têm legumes entre seus ingredientes.

Aqui no Brasil, não tem quem não conheça o bolo de cenoura - aquele que a gente prepara no liquidificador e cobre com cobertura de chocolate assim que sai do forno. Mas outros legumes passeiam contentes pelo mundo dos bolos! Já estão com as sacolinhas de feira no braço? Então, #vemgentchy!

1. Bolo de chocolate e abobrinhas - Detratores da abobrinha, acalmem-se: este não é um bolo 'abobrinhento'. Ela entra na receita apenas para deixar o bolo úmido. Observadores mais atentos talvez identifiquem um ou outro pontinho verde - isto, se conseguirem conter seu apetite.

Bolo de chocolate surpresa

***************

2. Bolo de chocolate e beterraba - Receita fina, benhê - criação de Nigel Slater com execução de David Lebovitz. Sublime é a palavra que me ocorre. Possivelmente um dos melhores bolos que eu já comi na vida.

Bolo de chocolate e beterraba

***************

3. Bolo de abóbora da Sara - Preparei este bolo quando estava no auge da dieta e, por isso, não cheguei a prová-lo. Mas foi comido com tamanha voracidade por meus caléugas que, com certeza, deve ser incrível.

Pumpkin bread inteiro

***************

4. Bolo integral de cenoura, coco e amêndoas

É engraçado como o paladar da gente muda ao longo do tempo. Confesso que jamais pensaria neste bolo como primeira opção para acompanhar um café da primeira vez em que o preparei. Hoje em dia, só de reler a lista de ingredientes, já começo a suspirar.

Bolo integral de cenoura, coco e amêndoas

***************

5. Bolo de cenoura tradicional - Ah, não dá para não ter! Hoje em dia faço essa receita um pouquinho diferente: uso um ovo a menos e uma cenoura a mais. E, como ainda não encontrei a cobertura de chocolate quebradiça que eu amava quando criança, tenho me virado com ganache, brigadeiro mole ou Nutella.

Bolo de cenoura

***************

Não é bolo nem tem legume, mas merece estar aqui

No início deste ano, testei duas receitas de brownies com ingredientes pra lá de estranhos, mas que ficaram deliciosas. Vale a pena deixar o receio de lado e dar uma chance a essas delicinhas.

1. Triple chocolate brownies com feijão preto - Duvido que alguém descubra que há feijões nele. E duvido mais ainda que alguém consiga resistir a um segundo pedaço. Excelentes.

Triple chocolate brownies

***************

2. Brownies com abacate - Não torça o nariz antes de prová-los - têm textura leve, quase de mousse, e são suuuuper chocolatudos. Use um chocolate sem traços de leite e pronto, você já tem tudo que precisa para ganhar o coração dos intolerantes a glúten e lactose.

Avocado brownies

Eba! 7 anos!

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Desde a chegada das crianças na minha vida, tudo tem acontecido não necessariamente quando planejado ou marcado no calendário - as coisas acontecem quando tudo conspira a favor. Por isso, com dois meses de atraso, comemoro com vocês o sétimo ano de No Calor do Fogão, com direito a novo visual!

Mais uma vez, contei com o apoio inestimável de Rodrigo e Alan, os moços queridos com quem eu trabalho (é deles a programação visual anterior do blog). Além de talentosos, os dois são uns fofos, suportaram todos os meus pitacos e 'clientices' com um sorriso no rosto.

Quer conhecer o trabalho deles? Quer cont(r)atá-los? É facim: acessem a conta da Alvetti.com no Facebook