Brownies de liquidificador (ou de multiprocessador)

terça-feira, 15 de abril de 2014

Não me canso de colecionar receitas de brownie, como vocês já puderam perceber. Quando topei com uma receita que prometia brownies rapidíssimos, feitos em um liquidificador, claro que me interessei e resolvi testar.

Meu liquidificador, que não é nenhum fracote, sofreu para bater a massa, que é muito densa. Foi angustiante ouvi-lo gemer para dar conta de tudo. Mas ele conseguiu e ficou bem depois disso. Mas não pretendo repetir a experiência.

Recomendo que vocês façam como eu, quando repeti a receita, e que a preparem com um multiprocessador potente, que é mais seguro. A não ser que o seu liquidificador seja este daqui (o mesmo da autora da receita).

Ah, sobre os brownies, né? Eu os fiz para presentear dois amigos queridos que aniversariaram recentemente. Eles disseram que estava muito, muito bom. Mas, como há a chance de eles terem sido gentis, testem a receita aê e depois me contem ;-)


(Ai, como é cruel a vida da cozinheira que não pode provar a comida... suspiro.)

 
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

3/4 xícara de manteiga sem sal, derretida (usei 150 g)
2/3 xícara gotas de chocolate meio amargo (usei 70%)
3 ovos
1/2 xícara de cacau em pó não adoçado (usei cacau em pó 100%)
1 1/2 xícaras de açúcar
1 colher (chá) de extrato de baunilha
7/8 de xícara de farinha de trigo (1 xícara menos 2 colheres de sopa)

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180ºC e forre uma assadeira quadrada de 20 cm com papel alumínio (deixe sobrar papel alumínio dos lados para facilitar a remoção dos brownies quando eles esfriarem).

A partir deste ponto, vá por sua conta e risco - e só se o seu liquidificador tiver copo de vidro e for muuuuito valente.

No copo do liquidificador, junte a manteiga derretida ainda quente e as gotas de chocolate. Tampe e bata até que o chocolate se derreta e a mistura fique uniforme. Aguarde amornar um pouco para adicionar os ovos, o cacau, o açúcar e a baunilha. Tampe o liquidificador novamente e pressione o botão "pulsar" até homogeneizar a mistura.

Seu liquidificador já fraquejou ou ainda está esbanjando vitalidade? Se ele ainda estiver bem, talvez dê conta do próximo passo - a farinha. Coloque-a no copo, tampe e pulse até incorporá-la à massa.

Pronto! Agora é só deitar a massa na forma preparada e levar ao forno por uns 30 minutos, ou até que o brownie passe no teste do palito (isto é, palito com migalhas úmidas).

Observação final:

Como contei antes, preparei brownies para dar de presente, por isso assei-os em forminhas descartáveis de alumínio, que são mega práticas e não precisam ser untadas.

Brownies de Stout

terça-feira, 8 de abril de 2014

Ariano Suassuna levou 57 anos para assumir que não gostava de café. O hômi também levou uns bons meses para admitir que não gosta de cervejas stout - aquelas escuras, fortes, de grãos bem torrados. Mas, finalmente, aconteceu.

A história começa no Natal de 2012, quando dei de presente a ele uma assinatura mensal de um pack de cervejas especiais. Por conta disso, ele, que quase nunca tomava cervejas stout, teve a chance de prová-las mais frequentemente. E então, 14 meses depois, pôde concluir - elas não fazem o seu tipo.

Não posso ajudá-lo a bebê-las porque estou de dieta. Mas posso dar um fim nobre a elas, usando-as em comidinhas gostosas, como esses brownies. Não os comi, mas quem provou achou incríveis.


Receita ligeiramente adaptada daqui

Ingredientes:

5 colheres (sopa) - 70g - de manteiga sem sal, picada
250g de chocolate ao leite, picadinho (usei um chocolate ao leite com aroma de cappuccino da Callebaut)
½ xícara + 1 colher (sopa) - 80g - de farinha de trigo
½ xícara (45g) de cacau em pó, sem adição de açúcar
1 pitada de sal
3 ovos grandes
½ xícara + 1 colher (sopa) - 112g - de açúcar cristal
3 colheres (sopa) - 40g - de açúcar mascavo – aperte-o na colher na hora de medir
1 colher (chá) de extrato de baunilha
225ml de Guinness ou outra cerveja do tipo stout (usei Insana, uma stout nacional)
¾ xícara (125g) de gotas de chocolate meio-amargo (usei 70%)

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre com papel alumínio deixando sobras em dos lados opostos, formando “alças”, e unte o papel também.

Derreta a manteiga em uma panelinha em fogo médio. Retire do fogo, junte o chocolate e aguarde 1 minuto. Misture até o chocolate derreter completamente e então deixe esfriar um pouquinho.

Em uma tigelinha, misture com um batedor de arame a farinha, o cacau e o sal. Reserve.

Na tigela grande da batedeira, usando o batedor de arame, bata os ovos e os açúcares em velocidade alta até combinar bem. Junte a baunilha. Em velocidade baixa, acrescente o chocolate derretido com a manteiga, raspando as laterais da tigela com uma espátula ao longo do processo.

Ainda em velocidade baixa, acrescente os ingredientes secos e, por fim, a cerveja. Termine de incorporar os ingredientes com uma espátula de silicone. Sua massa ficou totalmente líquida? Calma, amigue, me dê a mão e respire fundo, que é assim mesmo.

Despeje a massa na forma preparada e salpique com as gotas de chocolate (força na peruca, que a massa vai ficar totalmente líquida). Asse até que um palito inserido no centro do brownie saia com algumas migalhas úmidas, cerca de 50 minutos (demora mesmo, não se assuste).

Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Remova os brownies da forma com o auxílio das “alças” de papel alumínio e corte em quadradinhos.

Se gostar de um sabor mais pronunciado de cerveja, sirva-os levemente aquecidos. Se preferir fazer suspense quanto ao ingrediente secreto do brownie, sirva frio.

Bolo de banana caramelada

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Só este bolo para me fazer enfrentar o medo de fazer caramelo. Só este bolo para converter detratores de bolo de banana. Só este bolo para fazer um menininho enjoado, com dentinhos despontando, aceitar comer alguma coisa.

 Mais uma receita matadora que sai da Technicolor Kitchen para a minha cozinha. Se eu fosse você (ah, como eu queria ser você nessa hora), preparava o bolo e comia um pedação ainda morno, suspirando de contentamento.

   

Receita minimamente adaptada daqui

Ingredientes:
Para as bananas carameladas:
¾ xícara (150g) de açúcar cristal, de preferência orgânico
¼ xícara (60ml) de água
250g de bananas, em pedacinhos de 2cm (cortei em rodelinhas)
1 colher (sopa) de manteiga sem sal (usei manteiga com sal por pura preguiça de abrir um pacote novo de manteiga)
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Para o bolo: 
½ xícara (100g) de açúcar granulado, de preferência orgânico
¾ de xícara (180ml) de óleo de canola (ou outro óleo vegetal de sabor neutro)
2 ovos grandes, de preferência orgânicos
¼ xícara (65g) de iogurte natural integral
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 xícara + 1 colher (sopa) - 150g - de farinha de trigo
½ xícara + ½ colher (sopa) - 75g - de farinha integral
1 colher (chá) de canela em pó
2 colheres (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal

Modo de preparo:

Prepare as bananas carameladas: coloque o açúcar e a água em uma frigideira grande (não use antiaderente, porque o fundo escuro não vai permitir controlar a cor do caramelo) e leve ao fogo médio, mexendo somente até dissolver o açúcar – depois disso, não mexa mais, apenas gire a panela levemente algumas vezes. Deixe ferver, aumente o fogo e cozinhe até obter um caramelo. Junte as bananas, a manteiga e a baunilha – cuidado pois o caramelo pode espirrar – e cozinhe em fogo médio, mexendo ocasionalmente, até a banana desmanchar levemente no caramelo e a mistura engrossar. Despeje em um prato e deixe esfriar completamente.

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma quadrada de 20cm e forre o fundo da forma com papel manteiga. Unte o papel também. Bata o açúcar com o óleo e o os ovos até que a mistura engrosse e fique levemente aerada. Junte as bananas, o iogurte e a baunilha. Desligue a batedeira e peneire as farinhas, a canela, o fermento, o bicarbonato e o sal sobre a mistura, incorporando delicadamente com uma espátula.

 Transfira a massa para a forma preparada e asse até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito) - no meu forno, 40 minutos foram suficientes, mas a receita indica 50 minutos. Se eu fosse você, confiaria mais no nariz e menos no relógio.

Pumpkin bread da Sara

segunda-feira, 31 de março de 2014

Comer bolo, que é bom, não como nada. Mas falar de bolo, que é quase tão bom quanto, eu faço sempre. Outro dia, estava conversando com uma colega querida do trabalho e ela comentou sobre um bolo que sua irmã preparava com abóbora e especiarias. Eu, que tenho palpitações só de ouvir falar em receitas com ingredientes pouco usuais, já me assanhei. Pedi a receita e executei assim que cheguei em casa.

O que é o cheiro desse bolo assando, minha gente. Perfuma a casa toda. E, embora o nome da receita seja pumpkin bread, ele não tem textura pesada - é leve como um bolo de cenoura. Quanto ao sabor, o que posso dizer é que todos que comeram ficaram apaixonados. No trabalho, num instante, não restou nem farelinho - mas sobrou gente pedindo a receita.

 
Receita adaptada da Sara, irmã da Ana Paula :-)

Ingredientes:

1 xícara (chá) de abóbora japonesa, picada (pode ou não estar cozida - usei cozida)
¼ de xícara (chá) de maçã descascada (usei uma gala pequena, sem miolo e sem casca)
¼ de xícara (chá) de óleo (usei canola)
2 ovos
½ xícara (chá) de açúcar branco (não usei)
½ xícara (chá) de açúcar mascavo (usei 1 xícara)
1 ½ xícaras de farinha de trigo (usei 1 1/3 de xícara)
½ xícara (chá) de fubá (usei 2/3 de xícara)

2 colheres (chá) de canela em pó
½ colher (de chá) de noz-moscada
1 ½ colheres (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
¼ de colher (chá) de sal
½ xícara (chá) de passas pretas*

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180ºC. Unte e polvilhe com farinha uma forma média de bolo inglês (usei 2 pequenas decartáveis, sem untar nem nada).

A receita pode ser inteiramente preparada no liquidificador, mas eu preferi usar o mesmo método que utilizo para fazer bolo de cenoura, que é o que apresentarei agora.

No liquidifcador, bata juntos a abóbora, a maçã, o óleo e os ovos até obter um líquido uniforme. Adicione o açúcar e bata até incorporar. Reserve.

Numa tigela grande, combine a farinha de trigo, o fubá, a canela, a noz-moscada, o sal, o fermento e o bicarbonato de sódio. Deite nos ingredientes secos a mistura de abóbora batida e incorpore delicadamente, com o auxílio de uma espátula. Por fim, adicione as passas, misturando delicadamente para distribui-las na massa.

Despeje a massa na assadeira preparada e leve ao forno até que o bolo passe no teste do palito (meu forno anda tão doidinho que eu nem me arrisco contar quanto tempo levou).

Deixe o bolo esfriar numa grade antes de desenformar. Sirva morno ou em temperatura ambiente, com um café fresquinho ou um chá de especiarias.

 


Observação final:

Para que as minhas frutas secas não fiquem ressecadas, gosto de hidratá-las em um líquido quente - pode ser água, chá, rum, o que me parecer mais adequado na hora. Para hidratar as que usei nesse bolo, preparei um chá de maçã com especiarias - de saquinho mesmo - e deixei as passas nele por uns 15 minutos. Ficaram gordinhas e cheirosas.

Cookies duplos de chocolate e leite condensado

quarta-feira, 26 de março de 2014

Outro dia descobri meia lata de leite condensado na geladeira - sobra do pão doce de milho que preparei anteriormente. Em outros tempos, eu deitaria esse leite condensado em tudo que estivesse comendo: salada de frutas, banana amassada, bolo, pão, feijão preto... mas vivo em Esparta, numa dieta rigorosíssima, e essa possibilidade está fora de cogitação.

Como dar um fim nobre àquele alimento? Brigadeiro? Nah. Queria algo diferente. Dei uma vasculhada e achei a receita que queria: cookies duplos de chocolate com leite condensado. Indicação como sempre matadora da Pat do Technicholor Kitchen.

A receita é mole de preparar e fica pronta bem rapidinho. E, dado o egoísmo repentino do hômi ao prová-los (assim que colocou o primeiro na boca, confiscou o resto da fornada e comeu sozinho), ficam deliciosos. Faça aê e me conte o que achou!


Receita adaptada daqui

Ingredientes:

200g de chocolate meio-amargo ou amargo (mínimo de 50% de cacau) - usei 70%
50g de manteiga sem sal
1 lata de leite condensado
1 colher (chá) de extrato de baunilha
225g de farinha de trigo
1½ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
100g de chocolate branco em gotas ou pedacinhos

Modo de preparo:

 Quebre o chocolate e derreta-o em banho-maria com a manteiga, mexendo ocasionalmente. Junte o leite condensado, misture e retire do fogo. Junte a baunilha e deixe esfriar completamente. Acrescente a farinha, o fermento, o sal e o chocolate branco, misture, cubra com filme plástico e leve à geladeira até firmar o bastante para ser boleado.

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes, de beiradas baixas, com papel manteiga. Faça bolinhas com 1 colher (sopa) nivelada de massa e coloque nas formas preparadas, deixando 5cm entre uma e outra.

Asse por 12-15 minutos – os cookies ainda parecerão macios e terão um certo brilho no topo; não asse demais pois eles endurecerão. Deixe esfriar nas assadeiras sobre uma gradinha por 5 minutos e então remova com cuidado, transferindo para a gradinha. Deixe esfriar completamente.

Fiz meia receita e obtive 19 unidades.

Observação final:

Ultimamente meu forno anda muito bem disposto e, por pouco, não me passa a perna. Deixei os cookies assando por 15 minutos e quase os queimei. Provavelmente ficaram mais crocantes do que a receita original, mas isso não intimidou o hômi, que os devorou bem feliz.

Brownies de abacate

domingo, 23 de março de 2014

Estou desenvolvendo uma verdadeira compulsão por receitas inusitadas de brownies. Não que eu as prepare ou as consuma sempre, mas eu pesquiso muito sobre elas. As mais promissoras acabam entrando na lista de possibilidades a testar, como foram os brownies com feijão preto e essas belezinhas aí embaixo.

De uns tempos para cá, começaram a pipocar receitas de brownie de abacate na blogosfera gringa - algumas paleo, outras veganas, outras light... a grande maioria não me conquistou. O resultado me parecia muito diferente do que eu espero de um brownie. Mas esta me pareceu interessante. O resultado parecia apetitoso e a lista de ingredientes era praticável.

Numa tarde inesperadamente sem compromissos, resolvi testar. A massa ficou parecendo a de um bolo um pouco mais denso, com um cheiro muito pronunciado de chocolate. Não ficou lisinha, pois o abacate foi apenas amassado com um garfo (não sei como ficaria se ele fosse processado - talvez formasse líquido demais, nem me animei a testar).

Quanto aos brownies prontos, transmitirei a opinião do hômi (não estou comendo doces, lembram): a textura é rica, mas não super densa, como a dos brownies fudgy. Lembra mousse, mas mais consistente e com formato que se mantém mesmo depois de uma mordida (sim, dá para comer com as mãos, sem necessidade de pratinho, garfo e faca).  Não é muito doce e é SUPER chocolatudo. E definitivamente não dá para suspeitar que há abacate na jogada.

 
Receita minimamente adaptada daqui

Ingredientes:

225 g de chocolate amargo (usei um com 70% de cacau)
1 abacate de 500g pesado com casca e caroço (a receita original pedia 2 avocados)
4 ovos em temperatura ambiente
1 xícara de açúcar
1/2 xícara de cacau em pó
1/2 xícara de farinha de amêndoas
1/2 colher (chá) de sal
2 colheres (chá) de extrato de baunilha

Modo de preparo:

Ligue o forno a 180ºC. Unte com óleo vegetal suave uma assadeira quadrada com 20 cm de lado. Forre-a com papel manteiga, deixando sobras de papel de todos os lados para facilitar a hora de desenformar. Unte o papel também.

Vamos preparar os ingredientes para a receita. Comece pelo abacate: abra-o e remova a sua polpa com o auxílio de uma colher. Acomode-a em um prato grande e amasse-a bem - pode ser comum garfo ou com um amassador de batatas. Ao terminar, deixe-o quieto e passe para o próximo ingrediente: o chocolate. Derreta-o em banho-maria ou no micro-ondas. Reserve.

Numa tigela média, misture bem o cacau, a farinha de amêndoas e o sal. Reserve também.

Agora é hora da ação! E quipe a batedeira com o batedor de arame. Na tigela da batedeira, coloque os ovos e o açúcar e bata bem, em velocidade média/alta, até obter um creme claro, muito leve, com o dobro de volume original.

Com a batedeira em velocidade baixa, vá adicionando o chocolate aos poucos. Bata apenas até que ele seja incorporado aos ovos.

A partir deste ponto, recomendo que você trabalhe com uma espátula de silicone e muita delicadeza. Deite os ingredientes secos reservados, mais o extrato de baunilha, à mistura de ovos e chocolate e envolva levemente. Some então o abacate, mexendo com cuidado até incorporá-lo à massa.

Despeje a massa na assadeira preparada, alisando sua superfície com a espátula para uma distribuição uniforme. Leve ao forno por 20-25 minutos (pode ser mais tempo do que isso, como lá em casa - faça o teste do palito e espere migalhas úmidas).

Deixe esfriar completamente antes de cortar.

Pão doce de milho

terça-feira, 18 de março de 2014

Sou muito sugestionável. Cante uma música do meu lado e eu provavelmente sairei cantando também. Diga que viu uma pulga e eu me coçarei inteira. Comente, a respeito de um pão lindo de morrer, "Faça, que será o primeiro de muitos!", que eu vou ficar indócil até prepará-lo.

No começo do mês, a querida Gina publicou uma foto de um pão doce de milho na página do NacoZinha no Facebook. Pão + doce + milho, pode haver combinação mais atraente de palavras? Além disso, o pão usava um ingrediente inusitado - leite condensado. Era a isca que faltava.

Assim que deu, corri para a cozinha. Usei milho fresco e modelei pãezinhos pequenos. O marido, que é fã de pães macios e levemente adocicados, gostou tanto que pediu para ficar com a fornada inteira só para ele (20 unidades de pãezinhos, tsá).

Repito aqui o comentário da Gina: faça, que será o primeiro de muitos! Para mim, certamente será!

Receita minimamente adaptada daqui

Ingredientes:

1/2 lata de leite condensado (cerca de 200 g)
1/2 lata de milho verde (usei quantidade equivalente em milho fresco debulhado)
2 ovos
2 colheres (sopa) de margarina
1 colher (sopa) de leite em pó
1/3 de xícara de leite
1 pitada de sal
500 g de farinha de trigo
10 g de fermento biológico seco (2 colheres das de chá)
Fubá para polvilhar

Modo de preparo:

No liquidificador, bata todos os ingredientes, exceto o fermento e a farinha de trigo. Despeje o líquido em uma tigela grande, adicione o fermento, misturando levemente, e em seguida, vá acrescentando farinha aos poucos, até obter uma massa que possa ser trabalhada com as mãos. Transfira para a sua superfície de trabalho levemente enfarinhada e sove até obter uma massa lisa e elástica (como eu precisava brincar com uma pequena muito animada, deixei que a batedeira e o seu gancho preparassem e trabalhassem a massa por mim).

Acomode a massa em uma tigela grande, levemente untada, cubra com filme plástico e deixe crescer até dobrar de volume.

Uma vez que isso aconteça, trabalhe a massa novamente para tirar o gás que se acumulou. A partir daí, modele como quiser: faça dois rolos e acomode em formas médias de bolo inglês forradas com papel manteiga untado e polvilhado com fubá (forre primeiro, depois unte e polvilhe o papel). Ou faça como eu: divida a massa em 20 porções iguais, boleie e acomode em uma assadeira forrada com papel manteiga untado e polvilhado com fubá. Faça cortes na superfície dos pães como desejar e deixe descansar por uma hora.

Faltando 30 minutos para o fim do descanso do pão, ligue o forno a 180ºC. Antes de fornear os pãezinhos, pincele-os com gema (eu preferi pincelar com leite) e polvilhe fubá. Leve ao forno até dourar.

Observação final:

O sabor de milho ficou muito discreto - quase imperceptível - com o uso de milho fresco. Recomendo que você utilize milho em conserva, desses de latinha, para um sabor mais pronunciado.