Financiers de macadâmias

sábado, 30 de abril de 2016

Há uma frase de Mia Couto (um dos meus escritores preferidos) em "O Fio das Missangas" que ficou muito famosa entre os amantes das panelas: "Cozinhar é um modo de amar os outros". É nisso que acredito fervorosamente. Assim, sempre que percebo que alguém está precisando de um carinho, arranjo um tempinho para correr para a cozinha e preparar alguma coisinha.

Fiz esses bolinhos como um carinho para uma das professoras das crianças. Usei como base uma receita que já havia aparecido aqui e que, por sua vez, tinha sido adaptada do oráculo da comida boa. No lugar das castanhas, utilizei macadâmias. E, como só as tinha inteiras, modifiquei bastante o modo de preparo.

Se quiser, acrescente sobre cada bolinho um pouquinho de geleia de frutas da sua preferência. Dessa vez, deixei sem  - os bolinhos puros são tão deliciosos que senti que não precisavam de mais nada.

Financiers de macadâmia
Receita adaptada daqui

Ingredientes:

75g de farinha de trigo, peneirada
210g de açúcar de confeiteiro, peneirado
100g de macadâmias levemente tostadas (ou de farinha de macadâmias)
1 pitada de sal
4 claras
180g de manteiga sem sal, derretida
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga 10 forminhas caneladas com capacidade para ½ xícara (120ml) de massa cada*.

Se você só encontrou macadâmias inteiras, coloque-as no copo do liquidificador e triture-as. Quando estiverem com consistência de areia grossa, adicione as claras, uma de cada vez, processando bem até uniformizar. Em seguida, adicione a manteiga derretida e o extrato de baunilha e processe até ficar bem homogêneo. A essa altura, suas macadâmias estarão super fininhas.

Numa tigela, combine a farinha de trigo, a pitada de sal e o açúcar de confeiteiro, misturando bem. Adicione então a mistura do processador e misture bem até obter uma massa uniforme,

Divida a massa entre as forminhas preparadas e leve ao forno até que dourem e estejam assadinhos por dentro (faça o teste do palito).

Deixe esfriar nas forminhas por 5 minutos e então desenforme com cuidado. Transfira para uma gradinha e esfriar. Polvilhe com açúcar de confeiteiro antes de servir (opcional).

*usei forminhas de silicone - 6 retangulares (com capacidade para 1/4 de xícara) e 18 bem pequenininhas, que fazem bolinhos do tamanho de uma boa bocada. Gabriel ama bolinhos desse tamanho.

Observação final:

Ensinei a receita como a preparei (e como pretendo prepará-la sempre que só tiver castanhas inteiras à disposição). Mas, se você tem farinha de macadâmias prontinha, o preparo dos bolinhos é ainda mais simples - nem precisa de processador! Basta misturar todos os ingredientes secos em uma tigela, fazer um buraco no centro e nele adicionar as claras, a manteiga e a baunilha, misturando com uma colher de pau até ficar uniforme.

Bolo de limão e sementes de papoula da Hummingbird Bakery

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Este bolo tem uma história curiosa. Já o preparei duas ou três vezes, mas nunca comi um pedacinho sequer – ele sempre é levado inteirinho a alguma confraternização do marido. Voltam elogios rasgados, pedidos de receita... e nenhum farelinho. Mas, pelo que provei da massa crua, da calda e do glacê, ele deve ser realmente bom – tudo é muito gostoso, e o cheiro é de tirar o juízo.

Ah, aproveito o post para perguntar a esse povo sabido que me visita: gente, por que o meu glacê não fica branquinho em contato com o bolo? Achei que fosse porque eu cobria o bolo quente, mas dessa vez, ele estava frio. Tem que ser mais espesso? Mas aí faz como para espalhar? :-/

Bolo de limão e sementes de papoula
Receita minimamente adaptada do livro maravilhoso da Hummingbird Bakery

Ingredientes:

Para o bolo:
85g de manteiga sem sal
245g de açúcar de confeiteiro
Raspas da casca de 1 1/2 limões (usei as raspas da casca de 1 limão grande)
15g de sementes de papoula (e mais um pouco para decorar)
165ml de leite integral  (usei leite desnatado, era o que eu tinha em casa)
235g de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de sal
3 claras

Para a calda:
Sumo peneirado e as raspas de 1 limão
Açúcar refinado 50g
100 ml de água filtrada

Para o glacê:
Sumo peneirado de 1 limão
250g de açúcar de confeiteiro

Modo de preparo:

Ligue o forno a 180ºC. Unte e enfarinhe uma forma de anel com 24 cm de diâmetro.

Em uma tigela grande, bata a manteiga, o açúcar, as sementes de papoula e as raspas de limão até ficar cremoso.

Acrescente o leite em três adições, batendo bem até incorporar (não se preocupe se a massa parecer meio talhada, é assim mesmo). Raspe as laterais da tigela com uma espátula de silicone e bata mais um pouco até uniformizar.

Em outra tigela, peneire juntos a farinha, o fermento e o sal. Misture com um fouet e acrescente ao creme de manteiga em três vezes, batendo bem a cada adição e raspando as laterais da tigela até ficar bem homogêneo.

Em uma terceira tigela, bata as claras em neve até formar picos firmes.

Envolva as claras delicadamente à massa até incorporá-las. O movimento tem que ser delicado para que não se perca a leveza das claras em neve.

Despeje na forma e leve ao forno por 30-35 minutos ou até dourar e ficar fofinho ao toque (você o aperta delicadamente e ele ‘empurra de volta’). O teste do palito também pode ser uma boa.

Enquanto o bolo está assando, prepare a calda misturando o açúcar, as raspas de limão e suco em uma panela. Mexa com uma colher de pau até o açúcar dissolver.  Deixe ferver em fogo baixo até que a calda reduza pela metade.

Ao tirar o bolo do forno, perfure-o com uma faca ou palito de churrasco e despeje a calda quente às colheradas. Isto deixará o bolo úmido, com sabor bem pronunciado de limão e, de quebra, com uma casquinha de açúcar na parte inferior. Deixe o bolo esfriar por uns 10 minutos e então desenforme-o em uma gradinha para terminar de esfriar (de verdade, eu deixei esfriar completamente na forma e desenformei já no prato de servir).

Quando o bolo estiver completamente frio, faça o glacê misturando açúcar de confeiteiro e suco de limão. Se precisar, adicione um pouco mais de açúcar ou de água. Com uma colher, distribua a cobertura sobre o bolo, deixando escorrer pelos lados do bolo. Polvilhe com um pouco mais de sementes de papoula.

Observação final:

As receitas da Hummingbird Bakery sujam muita louça, mas são perfeitas. Faça e você vai ver.

Brownies de amêndoas e tâmaras

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Toda vez que a Páscoa se aproxima, sinto um comichão de preparar coisinhas gostosas para as pessoas queridas. De preferência, com chocolate - hummm, brownies. Mas, e quando essas pessoas evitam lactose, glúten e açúcar, faz o quê? Este foi o desafio desta Páscoa.

Não vou dizer que tudo correu suave na nave. Meu provador oficial, o hômi, deu uma mordida num pedaço do primeiro teste e engoliu com os olhos cheios de água, como quem come um besouro vivo. Ao final, perguntou se podia não comer o resto, e correu para o banheiro para lavar a língua. Não, eu não estou exagerando.

Mas depois de alguns testes, acho que cheguei a um produto final bom de verdade - aprovado até pelo lavador de língua, que comeu todo o pedaço e ainda suspirou: "delícia!".

Então, recapitulemos - é sem glúten; é sem lactose*; é sem açúcar adicionado (só o que já existe no chocolate amargo); é booooom. Bora conhecer?

Brownies de amêndoas e tâmaras

Receita adaptada daqui

Ingredientes:

150 g de tâmaras sem caroço
200 g de chocolate com pelo menos 70% de cacau*, picado
3 ovos
75 g de manteiga de amêndoas* (aquela que eu preparei no post anterior, lembra?)
50 g de farinha de amêndoas*
1/4 de colher (chá) de sal
1 colher (chá) de extrato de baunilha
Chocolate amargo em gotas (quanto baste para decorar a superfície do brownie)

Opcional - se as tâmaras não conseguirem adoçar os brownies suficientemente para o seu paladar, adicione um pouco do adoçante culinário de sua preferência. Eu usei o SweetLift Cook.

Modo de preparo:

Ligue o forno a 180ºC. Prepare a assadeira que vai usar: forre uma assadeira de brownies (quadrada, com 20 cm) com papel manteiga, deixando alças dos lados. Ou use uma forma de alumínio descartável, que foi o que eu fiz.

Numa tigelinha, deixe as tâmaras de molho em água bem quente por uns 15 minutos. Enquanto isso, derreta o chocolate em banho-maria. Quando ele estiver líquido e uniforme, apague o fogo e reserve a tigela longe do calor.

Escorra as tâmaras e acomode-as no copo do processador de alimentos. Pulse até obter um purê. Acrescente a manteiga de amêndoas e processe até incorporar. Adicione então os ovos, um a um, batendo bem a cada adição até ficar uniforme.

Raspe as laterais do copo do processador e acrescente o chocolate derretido. Bata até ficar bem misturado. Neste ponto, prove e acrescente o adoçante que desejar, a gosto (se você tem medo de provar massa crua, desculpe por forçá-lo a isso). Pulse até ficar bem misturado.

Despeje a mistura em uma tigela. Adicione então a farinha de amêndoas e o sal, envolvendo delicadamente.

Deite a massa na assadeira preparada, alise bem a superfície e decore com gotas de chocolate a gosto. Asse por 20 a 25 minutos ou até que pareça firme.

Deixe esfriar completamente antes de servir. Se conseguir conter os gulosos, sirva no dia seguinte - ele estará ainda mais gostoso.

Observações finais:

* Se oferecer este brownie a alguém que tem alergia a leite e derivados ou que tem intolerância severa a lactose, certifique-se cuidadosamente de que o seu chocolate não tenha nada-nada-nada de leite. O chocolate que usei, embora não tivesse leite entre os ingredientes, podia conter traços por ser fabricado em local que fabrica chocolate ao leite também.

* Você viu a farinha de amêndoa e a manteiga de amêndoa na lista de ingredientes e pode ter pensado, como eu, que funcionaria com amendoim. Sim, funciona - desde que você adore amendoim, pois o gosto é muito intenso. Com amêndoa, até dá para não fazer o descanso de um dia para o outro. Com amendoim, ele é indispensável, pois o sabor fica mais harmonioso.

* Assim que der, vou testar prepará-los com macadâmias. Se ficar bom, atualizo o post.

* Faça esses brownies mais baixinhos. Ficam mais gostosos de comer. Isto porque são mais densos que brownies de açúcar e manteiga.

* Dá pra ver a textura? Sim, é fudgy! A melhor de todas no mundo dos brownies!

* Já deve dar para imaginar, mas eu reforço - esse é um brownie para paladares adultos. Se os seus convivas não estão acostumados aos sabores mais amargos, não vão gostar nadinha.

Manteiga de amêndoas

sexta-feira, 15 de abril de 2016

O título desta postagem deveria ser "manteiga de amêndoas - mas pode ser de qualquer castanha". Porque o modo de preparar é basicamente o mesmo para qualquer tipo - castanha-do-pará, castanha-de-caju, avelã, amêndoa, amendoim, pistache, pecã...

Até mesmo a proporção dos ingredientes é parecida: para cada 2 xícaras de castanhas, 1 colher de sopa de óleo vegetal de sabor suave (ou óleo da própria castanha, se você tiver). É opcional adicionar sal e a substância adoçante que você preferir - açúcar comum, mascavo, de coco, calda de agave, mel, xarope de bordo...  Mas acho que vale a pena se você pretende saborear sua manteiga de castanhas pura, num pão ou biscoitinho.

Beth Manos Brickey, a autora da receita, recomenda que se use castanha orgânica, preferencialmente. E que as castanhas passem um período de molho para ficarem mais facilmente digeríveis e saborosas. Mas, calma: antes de jogar as castanhas na água, saiba que você precisará ter um desidratador - esse utensílio que todo mundo tem em casa #sóquenão - ou se preparar para ter o forno ocupado pelas castanhas por 12 a 24 horas em temperatura baixinha, em torno de 60ºC - ah, vá, seu forno doméstico certamente tem essa regulagem de temperatura #sóquenunca. Se você não retirar toda a umidade da castanha, não vai dar certo.

Consegue seguir essa orientação do mundo ideal? Ótimo! Não consegue? Tamo junto, eu também não dei conta de seguir. Eu simplesmente pedi a benção dos deuses da cozinha, tostei minhas castanhas e segui em frente. Mas deixo aqui registradas as recomendações da Beth, pois imagino que deva mesmo fazer diferença.

Ah, importante: "Dá para fazer no meu mini processador?" - hummmmm, só se for uma quantidade muito pequena. O ideal é que seja num processador grande para que as castanhas tenham muito espaço para se movimentar. "Dá pra ser no liquidificador?" - não, a faca do liquidificador fica um pouco acima do fundo do copo e tudo que fica abaixo dela não é triturado.

Manteiga de amêndoas
Receita vista aqui. As amêndoas que você vê na foto - 1 xícara - renderam a manteiga desse potinho.

Ingredientes:

2-4 xícaras de castanhas de sua preferência (eu usei amêndoas)
1-2 colheres (sopa) de óleo vegetal de sabor suave (como a Beth, usei óleo de coco)

Opcional: 
1 pitada de sal
O que você preferir para adoçar a sua manteiga, na quantidade que lhe apetecer
Especiarias, se gostar

Modo de preparo:

O primeiro passo é tostar as castanhas. Para isso, espalhe-as já descascadas em uma assadeira em uma única camada e leve ao forno a 160ºC por 10 a 15 minutos, vigiando de perto para não deixar queimar.

Depois que as castanhas esfriarem um pouco, acomode-as no copo do processador e triture-as até que fiquem reduzidas a uma farinha uniforme. Dependendo do seu processador, pode levar de 2 a 10 minutos. Coragem, vai valer a pena.

Adicione um pouquinho de óleo - uma colher de chá - e continue processando a farinha de castanhas até que ela fique lisa e cremosa. Interrompa a tarefa periodicamente para raspar as laterais do copo do processador (e para dar um tempo ao pobrezinho!). Se achar que a mistura está pesada, acrescente um pouquinho mais de óleo.

Quando a mistura estiver totalmente cremosa, algo que pode levar até 20 minutos para acontecer, adicione sal e adoçante, misturando e provando até ficar do seu gosto.

Armazene em temperatura ambiente, em um potinho bem fechado.

Observações finais:

* Preparei a manteiga de amêndoas da foto para usar em uma receita em que era importante controlar a quantidade de açúcar, daí não ter adicionado nadica de nada para adoçá-la. Qual receita? Apresento no próximo post ;-)

* Tostar ou não as castanhas é uma escolha pessoal. A ideia de castanha-do-pará tostada me parece esquisita. Quanto às demais castanhas, acho que ficam melhores  se passarem um tempinho no forno - o sabor fica mais interessante.

* Nunca adicione água à manteiga de castanhas, por mais que pareça que vai ajudar a deixá-la mais fluida. Ela vai perder cremosidade e estragar mais rápido.

Pudim de legumes da Lucinha

domingo, 10 de abril de 2016

Esta delícia é figura fácil nas celebrações da minha família. Pudera - é um dos jeitos mais simples e gostosos de servir um montão de legumes. Assado em uma forma de anel, faz bonito em qualquer mesa de festa. E o melhor, é super versátil: dá para fazer com quase todos os legumes que você tenha à mão; dá para fazer com leite vegetal e sem queijo algum, para quem é intolerante à lactose ou alérgico à leite. Ah, ainda é originalmente sem glúten, para a alegria da comunidade celíaca.

Eu nem sei por que não faço mais vezes aqui em casa. Na verdade, eu sei: é porque eu tenho a sorte de ser filha da Lucinha, a dona da receita. Sempre que ela faz, eu dou um jeito de levar um pedaço para casa ;-)

Pudim de legumes
Receita da mamãe :-D

Ingredientes:

1 cebola grande e dois dentes de alho, picadinhos
1 1/2 colher (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem
1 xícara de cenoura ralada no ralo grosso
1 xícara de chuchu ralado no ralo grosso
1 xícara de abobrinha ralada no ralo grosso
1 xícara de couve-flor ou vagem picadinhas
Sal e pimenta a gosto
1/2 colher (chá) de açúcar
3/4 de xícara de salsinha picadinha
Água suficiente para refogar os legumes (se necessário)
1 xícara de leite
5 colheres (sopa) de maizena
5 ovos ligeiramente batidos
3/4 de xícara de queijo parmesão ralado (ou outro de sua preferência)

Modo de preparo:

Ligue o forno a 180ºC. Unte uma forma de anel com manteiga e polvilhe com farinha de rosca*.

Numa panela grande, derreta a manteiga junto com o azeite. Acrescente a cebola e o alho e refogue até que a cebola fique translúcida. Junte então os legumes, o sal, a pimenta, o açúcar e a salsinha e deixe cozinhar em fogo brando até que os legumes fiquem macios (se achar necessário, acrescente água - a gente nunca acrescenta pois os legumes 'suam' bastante). Desligue o fogo e deixe os legumes esfriarem.

À parte, bata o leite, a maizena, os ovos e o queijo ralado - pode ser no liquidificador ou à mão, com um fouet.

Despeje a mistura líquida aos legumes já frios e misture bem. Despeje na assadeira previamente preparada e leve ao forno por uns 25 minutos, mais ou menos - ou até que o pudim fique firme e com uma bela cor dourada.

Observações finais:

* Não precisa usar forma de anel se não quiser ou não tiver em casa. Os pedaços que aparecem na foto foram de um pudim assado em um refratário oval.

* Faça do seu jeito - use os legumes que preferir. Imagino que alho-poró, milho verde e ervilha fresca possam ser boas pedidas. Beterraba não, a não ser que você não se importe de o pudim ficar cor-de-rosa.

* Se estiver evitando leite ou glúten, não use manteiga ou farinha de rosca. Prefira óleo e uma farinha sem glúten de que goste.

* Contei que um certo menino dessa casa devora bons pedaços desse pudim? :-D

Granola de coco e canela

terça-feira, 5 de abril de 2016

Naquela noite, quando me postei diante da bancada da cozinha, nem pensava em fazer receita nova, só um repeteco de algo que eu faço sempre - a granola do bem. Acontece que a despensa, mãe de boa parte das invencionices que aparecem na minha cozinha, tinha outros planos para mim.

Com o que tinha disponível - aveia, um tiquinho de quinoa em flocos, sementes de abóbora e muitas fitas de coco -, fiz uma outra granola. Que ficou tão gostosa, tão cheia de gruminhos de sabor, que eu achei que merecia ser compartilhada.

Fita de coco caramelizada no forno é vida, amor e glória, gente. Vão por mim ;-)

Granola com fitas de coco
Receita livremente adaptada dessa daqui

Ingredientes:

3 xícaras de aveia em flocos grossos
1/2 xícara de quinoa em flocos
2 xícaras de fitas de coco desidratadas
2 colheres (chá) de canela em pó
40 g de sementes de abóbora torradas
1/4 de colher (chá) de sal
1/2 xícara de açúcar mascavo
1/4 de xícara de mel
1/2 xícara de óleo de coco

Modo de preparo:

Forre uma assadeira para cookies com papel manteiga, deixando sobras nas pontas. Ligue o forno a 180ºC.

Numa tigela grande, junte a aveia, a quinoa, as fitas de coco, a canela, as sementes e o sal. Misture bem com uma colher de pau e reserve.

Numa panelinha, leve ao fogo o óleo de coco, o mel e o açúcar. Mexa ocasionalmente até que a mistura levante fervura. Apague o fogo e deixe esfriar um pouco. A mistura não ficará homogênea - o óleo de coco ficará separado do restante dos ingredientes.

Com a mistura líquida menos quente, despeje-a sobre os ingredientes secos, misturando bem com a colher de pau até que tudo fique úmido.

Espalhe a granola crua na assadeira preparada, cuidando para deixá-la uniformemente distribuída. Leve ao forno por 30 minutos, revolvendo a mistura com uma colher de pau a cada 10 minutos. Não se esqueça da granola nas bordas da assadeira, pois ela tende a queimar mais rápido. E não se esqueça de deixar tudo espalhadinho de maneira uniforme.

Ao final de meia hora, a granola deve estar dourada e cheirosa. Retire-a do forno e deixe a assadeira esfriar sobre uma grade. De vez em quando, dê uma revolvida nela, para que se solte facilmente do papel manteiga.

Quando ela estiver completamente fria, armazene em potes hermeticamente fechados. Deve durar pelo menos duas semanas.

Bolo de banana com farinha de rosca (quase um repeteco)

quinta-feira, 31 de março de 2016

Cobertura de granola

Outro dia fui a uma reunião de pais na escola dos pequenos. Começou 12h30 e foi bem longa, daquelas para apresentar plano pedagógico, metodologia e o escambau. Como o pessoal da escola não é nada bobo, ofereceu um lanchinho para que os pais conseguissem prestar atenção e não ficassem tão chateados de perder todo o horário de almoço.

O cardápio: café, suco, banana e bolo de banana. Como eu sou a louca ciumenta que quer saber quem são esses bolos que passam pelas bocas dos meus filhos adoro descobrir bolinhos diferentes dos que eu faço, provei um pedaço. Era um bolo bem simples, mas muito gostoso. Pedi a receita, claro. E recebi :-)

Era um bolo de banana com farinha de rosca. Analisei a lista de ingredientes e fui anotando - quero aumentar a quantidade de bananas e usá-las amassadas com um garfo; quero reduzir a quantidade de óleo; acho que o açúcar também pode diminuir um tanto. Reli a receita alterada e tive uma sensação de déjà-vu. Corri para os arquivos do blog e BINGO, a receita da escola tinha ficado quase igual a que eu normalmente faço. o.O

Para não enfrentar narizes torcidos diante do mesmo bolo de sempre, resolvi dividir a massa em três formas pequenas de bolo inglês e fazer coberturas diferentes para cada uma. Na primeira, salpiquei granola caseira; na segunda, misturinha de açúcar e canela e uvas-passas; na última, só a misturinha. Além de fofo, ficou uma delícia!

Provem e vejam que coisinha mais gostosa de se comer com um café fresquinho.

Bolo de banana com farinha de rosca
Receita minimamente adaptada daqui

Ingredientes:

4 bananas bem maduras (usei prata)
3 ovos
1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar (usei mascavo, mas pode ser comum)
1 1/2 xícaras (chá) de farinha de rosca
1/2 xícara (chá) de óleo de canola
1 colher (sopa) de fermento em pó
2 colheres (chá) de canela

Opcional: as coberturas de sua preferência - pode ser açúcar com canela, granola, rodelas de banana, castanhas picadinhas...

Cobertura de açúcar e canela

Modo de preparo:

Ligue o forno à temperatura de 180ºC. Unte e enfarinhe (com farinha de rosca) as formas que preferir. Se usar formas de alumínio descartáveis, como eu, não será preciso.

Descasque e amasse as bananas num prato, com um garfo, e reserve-as.  Bata os ovos com o açúcar e o óleo (usei tigela, fouet e braço, mas você pode fazer isso usando a batedeira ou o liquidificador).

Junte os demais ingredientes, misture bem e despeje a massa na(s) forma(s) preparada(s). Se quiser, salpique-os com a cobertura de sua preferência. Leve ao forno por uns 25/30 minutos ou até que o bolo passe no teste do palito.

Cobertura de açúcar, canela e passas

Observação final:

Como nem tudo é festa, meus pequenos comeram um ou outro pedaço desse bolo e depois se desinteressaram por completo. :-/

Printfriendly