Pão de abóbora

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Tinha comprado um pedaço de abóbora para fazer um creminho para o mais novo banguela da casa, mas ele torceu o nariz para o pobre vegetal. Bem, melhor para mim, que pude testar uma receita de pão de abóbora que namorava há meses.

Pão de abóbora

Receita vista no blog Happy Home Baking (adaptada de Bread, Baking by Hand or Bread Machine, de Eric Treuille &Ursula Ferrigno)

Ingredientes:

300 g de abóbora sem sementes, descascada e cortada em pedaços
60 ml do líquido do cozimento da abóbora
2 colheres (chá) de mel
500 g de farinha de trigo
2 colheres (chá) de sal
2 colheres (chá) de fermento biológico seco instantâneo

Para pincelar o pão: 1 gema de ovo e 1 colher (sopa) de leite (usei 1 ovo batido)
Sementes de abóbora torradas para decorar (preferi não usar)

Modo de preparo:

Cozinhe os pedaços de abóbora em água com uma pitada de sal até que eles fiquem macios. Escorra e reserve um pouco do líquido do cozimento. Faça um purê fininho com a abóbora e deixe esfriar.

Feito isso, é hora de preparar o pão propriamente dito. Numa tigela pequena, junte o mel e o líquido do cozimento e misture até que o mel se dissolva. Em outra tigela maior, misture bem a farinha, o sal e o fermento. Faça uma cova no meio dessa mistura e derrame o líquido do cozimento e o purê de abóbora. Misture até formar uma massa firme, grossa e grudenta. Se precisar, adicione mais um pouco do líquido do cozimento (eu precisei – adicionei 1 colher de sopa).

Agora, leve a massa à superfície de trabalho levemente enfarinhada e sove-a até deixá-la lisa e elástica (na postagem original, isto levaria 20 minutos, mas aqui em casa foi bem rápido – 5 minutos). Forme uma bola com a massa, salpique-a com farinha de trigo, coloque em uma tigela e cubra com filme plástico. Deixe-a crescer até dobrar de volume (ou use o truque do copo d’água com a bolinha de massa).

Passado o período de crescimento, dê uns socos na massa para extrair o gás que se acumulou dentro dela e deixe-a descansar por mais 10 minutos, coberta com o filme (esqueci completamente esse descanso).

Modele como desejar (eu fiz 10 pãezinhos redondos, mas a postagem original previa um só pão grande e redondo) e disponha em assadeira untada e enfarinhada. Cubra de novo e deixe dobrar de volume.

Pincele com o ovo e decore com as sementes de abóbora (que eu não tinha – mas nem iria usar, já que fiz pães pequenos). Leve para assar em forno preaquecido a 200°C por 40 minutos (meu forno estava a 190°C e eu só precisei assar por pouco mais do que 20 minutos).

9 comentários:

Gatinha na cozinha disse...

humm... adoro fazer pães e esta receita esta otima!!!
bjs dani

Laurinha disse...

Hummmmmm, adorei o pão! aiai, quentinho com uma manteiguinha, é tudo de bom!!
Tb gosto de fazer porções-pa~ezinhos pequenos, ficaram lindinhos!
Beijinhos,

fezoca disse...

Ficou lindo, Letícia! Eu tambem estava querendo fazer um pao de abobra, mas por enquanto estou so no desejo, nada de ação. ;-)
Um beijo,

Gourmandise disse...

Não leva nenhum tipo de gordura...bom para estes dias (preciso perder umas polegadas).
bjo,
Ni.

Marizé disse...

Que pãezinhos lindos e originais.

Beijocas

laila disse...

ai que delicia! quentinho no fim de tarde chuvoso cm está é uma tentação! bjos

Cris disse...

Lindo, lindo!!! Que graça ficaram, hum, quentinho com manteiga hein, estou me matando aqui de vontade. Bjs! Ah, estou morrendo de rir com sua série do homi banguela, pobre menino!

pipoka disse...

O pão está lindo. Vou anotar, pois adoro tudo o que leva abóbora.
Vou também adorar socar a massa!

bjs

Letrícia disse...

Dani, vale a pena testar, fica uma delícia!

Laurinha, eu também prefiro fazer pães pequenininhos, fica mais fácil armazenar (e comer!).

Fezoca, obrigada! Com o frio que está fazendo aí, deve ser gostoso assar um pãozinho...

Nina, também gostei desse aspecto da receita. E não senti falta nenhuma de gordura...

Marizé, obrigada!

Laila, eu provei o pão num fim de tarde do jeitinho que você descreveu... fica bom, mesmo!

Cris, obrigada! Precisava ver a cara do hômi quando descobriu que o banguela do cardápio era ele... até ensaiou um bico (pena que as bochechas inchadas não permitiram) :-P

Pipoka, eu ainda reluto em ter uma máquina de pão justamente porque adoro esse processo de sovar a massa...

Beijos, meninas!

Printfriendly