Rosca de coco e canela

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Esta é uma daquelas receitas nascidas do desastre e que acabam dando certo. Tudo começou no dia em que preparei os yeast rolls postados logo abaixo. No começo da receita, há uma mistura de água morna, fermento e açúcar que é deixada em repouso até que o fermento aja. Pois é, só que, da primeira vez em que eu fiz a mistura, o fermento ficou mortinho da silva. Esperei por 15 minutos e nada.

Deixei então essa mistura de lado e fiz uma nova. E não é que a mistura velha ‘vingou’ assim que a nova foi adicionada à farinha? Para não jogar fora ingredientes bons, resolvi guardar o líquido fermentado na geladeira para usar durante a semana.

E foi o que eu fiz. Pensando em fazer uns rolinhos de chocolate que apareceram num livro do Jamie Oliver, separei todos os ingredientes, dei uma olhada rápida no pote de farinha e pensei comigo: “ah, vai dar”. Não deu.

Tive um princípio de pânico quando vi a massa ainda grudenta e nada de farinha em toda a casa. Felizmente, a ajuda veio de um improvável pacote de coco ralado, que há tanto tempo esperava um fim digno. O resto é história...

Rosca de coco e canela

Ingredientes:

250ml de água morna
5g de fermento biológico seco instantâneo
1 xícara (de 200ml) de açúcar
450g de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
100g de coco ralado não-adoçado
Manteiga derretida (2 colheres de sopa devem dar)
Canela e açúcar para polvilhar
1 gema peneirada com 1 colher (chá) de água para pincelar

Modo de preparo:

Misture fermento, água e açúcar e deixe descansarem até que essa mistura espume. Tenha fé – se o fermento for bom e estiver na validade, uma hora ele espuma.

Enquanto isso, peneire sal e farinha juntos numa tigela. Faça um buraco no meio e despeje dentro dele o líquido fermentado. Com os dedos, vá incorporando o líquido à farinha. Misture tudo até obter uma massa lisa e um pouco grudenta.

Feito isso, polvilhe a sua superfície de trabalho com o coco ralado e despeje lá a massa. Este é o momento em que a receita fica diferente do normal. O que vai fazer a sua massa dar ponto é o coco ralado. Sove por uns 10 minutos, adicionando mais coco, sempre que precisar.

Quando a massa estiver no ponto, forme uma bola com ela e coloque-a em uma tigela untada com óleo vegetal (vire-a dentro da tigela para que toda a sua superfície fique untada). Cubra-a com filme plástico ou pano de prato e deixe-a descansar até que dobre de volume.

A massa cresceu? É hora de extrair o ar dela, apertando-a um pouco. Feito isso, abra-a na sua superfície de trabalho com a ajuda de um rolo de macarrão (dessa vez, o óleo da tigela onde a massa cresceu é que vai impedi-la de grudar). Estique-a até obter um retângulo com cerca de 1 cm de espessura. Pincele então a superfície da massa com um pouco de manteiga derretida e, por cima dessa manteiga, salpique coco ralado, canela e açúcar (devo ter usado uns 25g de coco ralado, 1 colher de sopa de açúcar e ½ colher de sopa de canela).

Enrole a massa que nem rocambole, apertando bem, mas com cuidado para não rompê-la. Enfie uma ponta do rocambole na outra para formar uma rosca. Disponha essa rosca em uma assadeira untada e enfarinhada e deixe-a crescer (faça uns talhos na superfície da rosca, se quiser – fica bonito). Enquanto isso, ligue o forno a 180ºC e deixe-o aquecer.

Quando a rosca tiver dobrado de volume, pincele-a com a gema, salpique mais canela, açúcar e coco e leve ao forno por cerca de 40 minutos ou até que ela fique douradinha.

Deixe-a esfriar numa grade por uns 30 minutos, antes de comer. Fica boa pura, com manteiga, com requeijão...

Notas finais:

Creio que seja possível misturar o coco (uns 60g) à farinha e ao sal peneirados. Neste caso, é bom separar um pouco da farinha para a hora de sovar a massa.

Essa massa provavelmente serve para fazer rolinhos – aqueles pãezinhos em espiral. Para isso, é preciso dividi-la em porções menores (2 ou 3) e abrir uma por uma, repetindo em todas o processo de pincelar manteiga, salpicar coco, canela e açúcar e enrolar como rocambole. Feito isso, pode-se cortar cada rocambole em fatias de 3 cm de espessura. Se quiser fatias bem bonitas, use uma linha para cortá-las (dica da Cinara e da Akemi!).

Rosca de coco e canela cortada

23 comentários:

Eliana Scaramal disse...

Show!! Canela é um luxo! Amei!

Gourmandise disse...

Gosto de fazer pães doces, mas não faço com frequencia....eles não fazem mto sucesso em casa! Acabo coamendo mto! rs
bjo,
Nina.

laila disse...

nossa isos é tortura pura!! não posos comer pão ate a pascoa..ai ai ai!!bjs

Laurinha disse...

Como ficou lindo! Aiai, coco, canela, pão, ô conjuntinho danado de bão!
Beijinhos

Marizé disse...

Ficou o máximo. Boa, mulher desenrascada.

Beijocas e bom fim de semana

risonha disse...

isto é o que eu chamo uma grande mestra de cozinha: no meio da desgraça arranja uma solução e salva a "honra do convento", como se diz por cá...
parabéns

Luciana Macêdo disse...

Pães maravilhosos e deliciosos. São a minha paixão.
O aperto valeu à pena, surgiu mais uma receita.
Bjs!

Bia disse...

e assim que nascem as melhores receitas ! adorei !bjs

Cris disse...

A primeira foto não diz muito sobre o pão, deixa aquela dúvida no ar... mas a última é de tirar o fôlego, que pão mais lindo, adorei as dicas! Bjs!

Patricia Scarpin disse...

Lê, pois você deu uma de McGyver e fez um pão maravilhoso! Amei!

Natural Naturalmente disse...

Que maravilha a sua rosca. Parabens
Beijinhos
Márcia

Laurinha disse...

Quer brincar de roda? Passe lá no Pitadinhas...

Beijinhos,

Letrícia disse...

Eliana, também sou louca por uma canela. Aquece o coração ;-)

Nina, aqui em casa também estou sozinha para comer pão doce. Costumo mandar um pouco para o pessoal do trabalho do hômi.

Laila, eu que não faço uma promessa dessas ;-)

Laurinha, também adoro essa combinação. Ah, obrigada pelo convite para brincar de roda, já estou na ciranda!

Marizé, ri muito do "mulher desenrasca".

Risonha, não conhecia essa expressão, "salvar a honra do convento"! Muito boa!

Luciana, obrigada! Também tenho um fraco por pães...

Ô, Bia, obrigada. Um dia quero repetir essa receita em condições normais para ver se ela vai funcionar do mesmo jeito...

Cris, por fora ele realmente não diz muito a que veio. Por dentro dá pra ver a espiral de canela, que dá um charme...

Patrícia, obrigada! É impressionante como o McGyver até hoje mora no nosso imaginário (eu era fã dele)...

Márcia, obrigada :-)

Beijos, queridas!

Agdah disse...

Menina, coco me tira do sério. Ficou linda.

Letrícia disse...

Obrigada, Agdá! Beijos!

Fabrícia disse...

Que delícia de cantinho...vim conhecer e não quero mais ir embora...adorei...
Bjcas.

Letrícia disse...

Fabrícia, adorei conhecer seu cantinho, também! Agora que eu sei o caminho, vou voltar sempre!

Beijos!

Valentina disse...

Nossa Letrícia, show esta história da receita. Estou boba ! E a rosca está absolutamente divina.bjocas.

Letrícia disse...

Obrigada, Valentina! Confesso que, durante o preparo, estava meio tensa, com medo de estragar tantos ingredientes. Mas não é que funcionou? =D

Beijos!

Flavinha disse...

Acabo de descobrir seu blog, através da Laila, do comidinhas do bem! Estou encantada!
Adorei este pão doce! Queria fazer hoje mesmo, mas não tenho fermento seco em casa... Será que com aquele biológico de tabletinho daria certo?
beijocas

Letrícia disse...

Oi, Flavinha! Como não sei se você vai ler se eu responder aqui, fiz um comentário com a resposta no seu blog.

Beijos!

delicias disse...

não vai ovos?

Letrícia disse...

Não vai, não, Luzilene.

Beijo!

Printfriendly