Pão integral de batata e aveia

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Pão integral de aveia e batata

Se existe uma atividade que exercita a minha humildade, esta atividade é fazer pão. Depois de uma seqüência de fornadas bem sucedidas, eu começo a pensar: agora sim, acho que já sei fazer o básico, talvez dê pra tentar massas mais desafiadoras, como aquelas de fermentação natural (que me dão arrepios só de pensar).

Aí, eu tropeço em algum passo elementar. E me vêm à cabeça as sábias palavras do Sr. Miyagi: “primeiro pintar a cerca, depois aprender caratê”. Ainda tenho muita cerca para pintar até conseguir fazer pão que nem gente grande.

Bom, este pão foi aquele cuja foto eu publiquei há alguns dias, sem receita. Hoje resolvi fazê-lo como deve ser. Medi todos os ingredientes, trabalhei a massa, deixei crescer, modelei... e aí, na segunda fermentação, pus tudo a perder - fui fazer outra coisa e esqueci dos pães, que descansaram por um tempo longo demais, em um ambiente quente demais. Resultado: enquanto estavam no forno, os pães cresceram um tanto e pfffff... desabaram. Encolheram e ficaram com a superfície meio enrugada.

Apesar disso, o miolo continuou macio. E o gosto de uma fatia quentinha com um pouco de manteiga me fez querer tentar de novo, até ficar perfeito. Sr. Miyagi se orgulharia de mim ;-)

Pão integral de aveia e batata
Receita retirada do caderninho da mamãe

Ingredientes:


2 xícaras de farinha de trigo integral
1 ½ xícara de farinha de trigo branca*
½ xícara de batatas cozidas e espremidas (usei duas batatas pequenas)
½ xícara de aveia em flocos
1 colher (chá) de sal
1 ½ xícara de leite
¼ de xícara de mel
¼ de xícara de manteiga
1 colher (sopa) de fermento biológico seco instantâneo
Trigo partido e fubá para polvilhar os pães

Modo de preparo:

Numa panela, leve a manteiga e o mel ao fogo baixo até que derretam. Junte o leite e o sal a eles e mexa bem. Por fim, acrescente as batatas amassadas e misture até incorporar. Reserve.

Em uma tigela grande, coloque a farinha de trigo integral, a aveia e o fermento e misture bem. Faça uma cova no centro dos ingredientes e despeje aí a mistura líquida de batatas. Com um garfo (ou com as pontas dos dedos), misture os ingredientes até obter uma massa grudenta. Enfarinhe a sua superfície de trabalho com ¼ de xícara de farinha de trigo branca e transfira a massa para ela.

À medida que trabalha a massa com as mãos, esticando-a e empurrando-a, acrescente mais farinha de trigo branca, ¼ de xícara de cada vez, até completar a quantidade total recomendada (1 ½ xícara). Nessa altura, a massa já deve estar lisa e elástica. Se ainda estiver grudenta, acrescente mais farinha (¼ de xícara de cada vez) e trabalhe a massa novamente.

Forme uma bola com a massa, passe farinha em toda a sua superfície, coloque-a em uma tigela grande e cubra com filme plástico. Leve-a para crescer em um lugar quentinho e protegido de correntes de ar até que ela dobre de volume (entre 1h30 e 2h).

Enquanto isso, unte duas assadeiras de bolo inglês (26 cm X 12 cm) e polvilhe-as com fubá e trigo partido. Reserve-as.

Massa crescida, murche-a com um murro, transfira-a para a superfície de trabalho e extraia todo o ar acumulado nela. Trabalhe-a mais um pouco e divida-a ao meio. Abra cada metade em um retângulo de uns 37 cm X 22 cm. Enrole-a pelo lado mais curto, aperte as pontas e acomode-a dentro da forma preparada. Cubra os pães com um pano de prato levemente úmido e deixe crescer novamente por uns 40 minutos (aqui, eu deixei o pão crescer num calor danado e só me lembrei dele quase 2h depois – não faça isso!). Aproveite para ligar o forno a 180ºC.

Pincele os pães com um pouco de água e polvilhe-os com fubá e trigo partido. Asse-os por 30 a 40 minutos. Para verificar se estão bons, tire-os da assadeira e dê uma pancadinha neles com os nós dos dedos. Se o som for oco, já pode tirá-los do forno. Caso ainda não estejam bons, devolva-os ao forno diretamente na grade para assar por mais 5 minutos.

Deixe os pães esfriarem sobre uma grade por meia hora antes de comer.

Observações finais:


* A receita original levava uma quantidade muito maior de farinha de trigo branca – até 3 xícaras, o dobro do que usei. Eu aconselho a tentar só com 1 ½ xícara, primeiro. E a ter força na peruca – trabalhar a massa com toda a coragem e fé que há no coração. Se ainda assim ficar muito grudenta, acrescente um pouquinho mais de farinha (vá com calma, é pouquinho, mesmo).

27 comentários:

Mari Azevedo disse...

Lê, querida, isso acontece né? Para te ser sincera, só tive uma fornada de pães bem sucedida em todas as minhas tentativas, mas desistir, eu não desisto nao!!!
Acho que ainda tenho que pintar muita cerca também... hehe, mas teu pão está muito lindo, não parece que ficou enrugadinho nao... pode ter certeza de que na próxima vez que vc o fizer, vai ficar perfeito!! =D
Bjo grande!!

Luciana disse...

Letrícia, seu pão está com uma cara de super macio, suculento e lindoooo. parabéns, pois pães integrais dão trabalho mesmo.mas está com uma cara super saudável.bj

BETO disse...

Letrícia, e vc ainda me fala que esse pão não ficou bonito??? Bom, é que vc deve ser muito perfeccionista ou se cobra demais, como todo bom cozinheiro. A aparência ficou muito boa, e com certeza o sabor. Eu sou um fracasso em pães, e preciso me dediar um pouco mais a eles. Bjs,

Silvia Arruda disse...

Pelas fotos, o pão está lindo e fofinho!! E se vai batata, com certeza ficou delicioso! :P

Rafaela Prachedes disse...

Por mais que eu goste de cozinhar... meus pães só são feitos da máquina... quer dizer...
faço a massa na máquina e asso no forno... pq eu acho mais rápido...

preguiça ou não... eu gosto muito do sabor!!!

Seu pão é lindo... depois vou tentar reproduzí-lo na minha expert de pães... a cadence... hehehehe

Obrigada pela receita e parabéns pelo blog!

Iúna disse...

que blog delicioso, deu água na boca, vou linkar e saborear todo dia.

risonha disse...

e quem é que não precisa de pintar bastante a cerca?
LOL!
eu acho que o pão ficou lindo.. comia uma fatia agora mesmo se pudesse.

ameixa seca disse...

Adorei a referência ao Mr Miyagi :)
O pão ficou óptimo e acredito que tenha ficado uma delícia!

Ba disse...

Nossa que pão lindo, que vontade de provar! Já imaginei ele quentinho com manteiga derretendo por cima, que delícia!
E eu ainda que ando numa fase super integral, fiquei com água na boca!
Acho que ainda não estou podendo tanto assim pra fazer um pão desses (é, sou novata), mas acho que vou tentar mesmo assim! hehe
Beijos!

Laurinha disse...

Adorei muita cerca pra pintar.... eu tb!!! muuuuuuuuita!

Agora, adorei este pão! Vai pro forno amanhã meeeeesmo! (Se der, hoje!)

Bjus!!

Ziza disse...

Eu preparo um pãozinho bem chulepento e faço de conta que sou super prendada. Tenho preguiça de pintar a cerca... quero começar faixa preta.

Valeria disse...

Letícia Eu tb sou doida por esse pão .Eu me recordo de uma senhora que era missionaária e reunia o pessoal pra fazer exatamente esse pão !!Hummm um aroma!!!
Bjs

lunalestrie disse...

Letrícia, como você, sou apaixonada por fazer pães e por isso adoro vir aqui olhar as tuas experiências. Mas não vi defeito nenhum aí nesse, viu? Parece delicioso! :D

Eliana Scaramal disse...

Sabe que eu passei um ano da minha vida para chegar a um pão de batata que me agrada-se, eles cresciam demais, muito mesmo e eu ficava feliz da vida, derrepente puf, abaixavam, eu quase arrancava os cabelos. kkkk

Pão é mesmo treino minha amiga, esse seu integral com batata e aveia vou tentar depois te conto o resultado, a foto está linda!

www.saboresdalica.blogspot.com

Laurinha disse...

Estou, neste momento, saboreando uma fatia deste pão, delicioso!
Será o pão para o meu café da manhã de amanhã!! Well, se sobrar... :DD

Só que:
mantive, bravamente, as 1 1/2 xíc de far bca - usei a de pão. E a massa estava bem grudenta, quase nadica elástica, acho que pq tem mais far integral/aveia que bca....
então, coloquei em forma de pão, pois se fizesse um pão/filão, o dito acho que viraria uma pizza, de tão molinho...
O sabor é delicioso, nadica puxado pro sal nem pro doce, ontonces, como eu gostio!

Super obrigada por mais um!!

Beijinhos

Letrícia disse...

Mari, também estou contando com isso :-)

Luciana, obrigada! Esse nem deu trabalho, a culpa foi minha, eu que esqueci o coitado crescendo por muito tempo...

Beto, obrigada pela força. Não é perfeccionismo, não... ele realmente podia ter ficado mais bonito. Mas fica pra próxima ;-)

Silvia, batata é bom de qualquer jeito, né?

Rafaela, eu acho justíssimo que você use a máquina, eu é que prefiro fazer tudo 'from scratch'. Eu me conheço, se não puder trabalhar a massa, a vontade de fazer pão não vai passar e eu vou acabar fazendo muito mais pães do que eu preciso.

Iúna, obrigada pela visita! Que bom que gostou!

Risonha, obrigada ;-)

Ameixa, o Sr. Miyagi é inesquecível!

Ba, pra tudo na vida, há uma primeira vez ;-) E pão, a gente só aprende a fazer tentando. Boa sorte!

Laurinha, que bom que você gostou! Mas não ia ter problema acrescentar um pouquinho mais de farinha. Como os ingredientes variam de uma casa para outra, podia ser que a sua massa precisasse de um pouco mais.

Ziza, isso me lembra outra frase do Sr. Miyagi: "se caratê mais ou menos, esmagam você feito uva". É por isso que eu continuo pintando a cerca...

Valeria, que legal! Será que a fonte da receita é a mesma?

Luna, obrigada :-) Ficou gostoso, mesmo, pena que a aparência faiô.

Eliana, é uma tristeza quando o pão abaixa. Fazia tanto tempo que isso não acontecia comigo que eu achava que tinha adquirido imunidade :-P

Susana disse...

Letrícia,
Apesar de nem tudo ter corrido bem, esse pão está com uma cara óptima. Eu ainda não me aventurem no mundo do pão. Lá chegarei um dia.
Experimenta a quiche porque é óptima!!!:)
Beijocas.
Susana

Gina disse...

Letrícia, pão caseiro é bom demais. Gostei da sua forma de descrever...
Bjs.

Letrícia disse...

Obrigada, Susana! Assim que der, vou experimentar a quiche, sim!

Gina, há mais de um ano, não comemos pão que não seja feito aqui em casa. Bom demais.

Beijos, meninas!

Téia disse...

Vizinha querida, aff, meu ponto fraco são os pães, exatamente pela falta de paciência, só acerto os da MFP. Vou ter que chamar os santos, você e o nosso mestre do Karatê Kid pra ver se resolvo o problems.
O SEU FICOU LINDO, mas perfeccionista que és não agradou em cheio. Relaxa e manda um pedaço aqui para casa, que digo para todos se está bom, háháhá... Bj Lê.

Letrícia disse...

Ai, vizinha, só você, mesmo, para me fazer rir. Beijo, querida!

Goreti disse...

Semana passada aconteceu o mesmíssimo comigo, sóque foi numa receita de cuca. A bendita tava tão, mas tão linda, e claro, por excesso de tempo de crescimento, a bichinha D E M O R O N O U...pelo menos ficou macia e gostosa, mas aparência...
Nem por isso desisteremos , não é Le?

Beijos!!!

laila disse...

humm agora sim poso me deliciar!!bjs

Letrícia disse...

Goreti, a gente é brasileira, não desiste nunca! :-D

Laila, espero que você goste!

Beijos, queridas!

Malu disse...

Tive que colocar bem mais farinha, mas ficou otimo. OBRIGADA

rafael delpreto disse...

O pão fica adocicado por conta do mel ou não?Se eu aumentar um pouco a quantidade de sal tem alum problema?

Letrícia disse...

Rafael, fica levemente adocicado, mas definitivamente não é um pão doce. Se quiser, aumente o sal ao seu gosto, só misture bem aos ingredientes secos. Em contato direto com o sal, o fermento pode morrer :-O.

Abraços!

Printfriendly