Ciabatta para acalmar as borboletas no estômago

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Ciabatta

Estou passando por um momento de incertezas – tantas que nem dá para contar. Nessas horas, prefiro me recolher e ficar quietinha. E contar com a acolhida calorosa de um pãozinho recém saído do forno, como esta ciabatta.

Essa não é uma ciabatta legítima, daquelas que exigem sovas demoradas e que levam mais de um dia inteiro para ficarem prontas. Mas é bem gostosa e fácil de fazer.

Ciabatta

Receita d’O Livro dos Pães, de Sara Lewis

Ingredientes (para 2 pães):

Para o substituto do fermento ou biga:
125g de farinha de trigo
½ colher (chá) de açúcar
½ colher (chá) de fermento biológico seco instantâneo
150 ml de água morna

Para o segundo estágio:

1 colher (sopa) de leite em pó
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
375g de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de açúcar refinado
1 colher (chá) de fermento biológico seco instantâneo
250 ml de água morna

Modo de preparo:

Esta receita é bem simples de preparar – não precisa sovar nem nada. O que faz com que ela pareça complexa é o tempo de preparo: a biga deve ser feita na noite anterior ao preparo do pão. Além disso, a massa descansa bastante (quase 3h, no total).

Agora que eu já fiz o alerta, vamos ao preparo da biga: numa tigela grande, coloque o fermento, a farinha e o açúcar. Acrescente gradualmente a água morna e misture com uma colher até formar uma massa macia. Cubra com um pano de prato limpo e deixe descansar em local quente (dentro de um forno desligado ou de um armário) de um dia para o outro.

No dia seguinte, comece o segundo estágio: adicione o leite em pó, o azeite, a farinha, o sal, o açúcar e o fermento à biga. Gradualmente, despeje a água morna e vá misturando com a colher até obter uma massa grossa e macia. Cubra e deixe em local quente por duas horas, até que a massa triplique de tamanho.

Prepare uma assadeira grande (ou duas médias) untando-a e polvilhando-a com farinha de aveia ou de trigo. Com o auxílio de uma colher, coloque a massa na assadeira, formando dois montes (um para cada pão). Passe bastante farinha nas mãos e estique delicadamente a massa, formando dois pães compridos, de cerca de 25 cm de comprimento.

Deixe a assadeira em local quente, descoberta, por 45 minutos ou até crescer uns 50% novamente. Leve para assar em forno pré-aquecido a 200ºC por 20 a 25 minutos, até que fiquem dourados e pareçam ocos ao receber batidas com as pontas dos dedos.

Retire os pães da assadeira com cuidado e deixe que esfriem em uma grade antes de comê-los.

Observação final:

Esta receita foi publicada especialmente para querida e talentosa Cy, que faz aniversário nessa sexta. Amiguete, todas as palavras positivas que existem são insuficientes para expressar o bem que desejo a você. Que você continue brilhante, luminosa, calorosa – o sol da praia de todos que a rodeiam.

12 comentários:

Gina disse...

Letrícia, o ciabatta é um pão ótimo e costumo ter de vez em quando, mas nunca fiz. É demorado, mas penso que vale a pena.
Aqui a temperatura não está apropriada para fazer pão. Tivemos -2° a noite passada, com sensação térmica de -7°, dá pra imaginar?
Bjs.

ameixa seca disse...

Que delícia, a massa ficou super abertinha. Deve valer a pena a espera :)

Mari disse...

Lê querida, você é mesmo fera, com F maiúscula, nos pãezinhos... Essa ciabatta ficou um encanto!!!
Nunca tentei fazer ciabatta em casa... aliás, faço poucos pães, pois ainda tenho bastante medo da massa grudando em mim... risos... um dia eu supero!
Bjo grande,

Mari

Aline disse...

Letrícia da minha vida! Eu quero esse pão! Já tô anotando a receita...
Aliás, tô doida atrás de receitas com filé de frango, porque lá em casa tá assim de filezinho e eu já cansei de fazer sempre do mesmo jeito.
Um abraço bem apertado procê!

gasparzinha disse...

Fazer pão reconcilia-nos o espírito!
:)

Um grande beijinho. :) :) :)

Silvia Arruda disse...

Sua ciabatta ficou lindona!! Cheia de furinhos... deve ter ficado tão macia!! Delícia!

prolixa disse...

Amiguete!!! Obrigada pela receita. Obrigada pelas palavras lindas. Obrigada por seu carinho, que eu sei que é enorme, mesmo sem vc precisar dizer uma palavrinha. Vou tentar fazer e depois te conto como foi o desastre hehehe

Iliane disse...

querida..sua ciabatta ficou linda!!!numca tentei fazer e eu tambem tenho esse livro da Sara Lewis..dele eu fiz..passaladiere!!!que é uma delicia tambem..e..quanto ao feijão..rssss..ti convido para comer ele um dia que vier a Sampa..ok..bjus linda..e..fica bem!!

Sylvia disse...

Eu adoro pao ciabatta,nao sabia que ddemorava tanto para fazer. Como voce ja deve ter percebido sou das que gosta das coisas mais praticas e rapidas.Vou tentar a receita mais rapida , pois a aparencia esta maravilhosa
Bom fim de semana
Beijos

Téia disse...

Vizinha, você é seus pães maravilhosos. Que paciência, viu??? Espero que as borboletas se acalmem e boa festa de casamento. Bj grande.

Valeria disse...

Letícia querida ,Adorei a tua Ciabatta,Será que tenho a paciência de preparar???
Ah mas acho que vale a pena né!!
Bjs
Valéria
Papos de Anjo

Letrícia disse...

Gina, que frio danado está fazendo aí! E eu achando que estava frio por aqui...

Ameixa, vale, sim. Além disso, o pão se cuida sozinho a maior parte do tempo :-)

Mari, com esse pão, você não precisa se preocupar, não tem sova nem nada. Só precisa preparar o fermento na noite anterior, mas também não tem mistério nenhum.

Aline, vou indicar para você as feras da lista ao lado - tenho certeza de que você vai encontrar várias opções para o franguinho do dia-a-dia :-)

Gasparzinha, é verdade!

Silvia, ficou super macia, mesmo!

Amiguete, não vejo a hora de conhecer a sua cozinha nova. Vá com fé e não demonstre medo, que o pão percebe.

Iliane, eu amei esse livro da Sara Lewis, as receitas são ótimas. E olha que eu aceito o seu convite, hein? :-)

Sylvia, também gosto das receitas práticas, mas estou super curiosa em relação a essa ciabatta que a Marizé fez.

Vizinha querida, obrigada. A festa de casamento foi linda, perfeita. As borboletas estão começando a se acalmar.

Valeria, vale a pena, sim! E nem dá trabalho - o tempo que você passa efetivamente cuidando do pão é pequeno.

Beijos, meninas!

Printfriendly