Salada de erva-doce, tomate e maçã

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Salada de erva-doce, tomate e maçã

Eu sei, eu sei, o tempo esfriou aqui no Hemisfério Sul e saladinhas refrescantes estão longe de apetecer por estas bandas.

Mas há alguns meses, fiz uma salada tão besta e boa que achei que deveria compartilhá-la aqui, mesmo estando na estação errada. Quem sabe o pessoal do Hemisfério Norte não aproveite?

Já adianto que nunca tenho medida certa de ingredientes na salada. Vou colocando um pouquinho disso, um pouquinho daquilo, até que os meus olhos gostem do resultado. Depois tempero assim, sem medida, também. Dito tudo isso, vamos à salada, que é ótema.

Ela levou tomate maduro cortado em tirinhas; fatias de maçã cortadas ao meio e deixadas de molho em água com suco de limão para não ficarem escuras; e erva-doce (funcho, finocchio, fennel, não sei como você conhece essa belezinha) - a parte branca cortada em tirinhas, os talos cortados em rodelas. Tive o cuidado de deixar a erva-doce de molho em água bem gelada para continuar crocante até a hora de temperar a salada.

Depois, foi só escorrer bem quem estava de molho, colocar todos os ingredientes numa vasilha grande, misturá-los delicadamente e temperá-los com azeite de oliva, sal, suco de limão e pimenta-do-reino moída na hora. Só isso? Só isso. E fica uma coisa louca, de tão boa.

A propósito, vale uma dica que eu aprendi na marra há alguns anos (vai que alguém ainda não sabe): a salada de vegetais crus deve ser temperada quase na hora de servir. Se a gente tenta ganhar tempo temperando antecipadamente, os vegetais perdem muito líquido e ficam num desânimo só.

Nenhum comentário:

Printfriendly