Livro: Brincando com fogo, de Gordon Ramsay

sexta-feira, 8 de outubro de 2010


Não se enganem com os bolos dos últimos posts: eu não tenho comido quase nada deles. Continuo em dieta, gemendo e chorando.

Como não posso ficar fazendo guloseimas toda hora (é flertar demais com o perigo) e não quero cansar ninguém com comidas sem nada de especial, resolvi escrever sobre um livro que acabei de ler: Brincando com Fogo, de Gordon Ramsay.

Devo confessar que li a primeira metade do livro exercitando bastante a minha força de vontade - o Sr. Ramsay não escreve bem e a tradução não ajuda nada. Além disso, poucas pessoas são tão cheias de si quanto ele: pelos seus relatos, não há nada que ele faça que não seja maior, melhor, mais sofisticado e inteligente do que o resto da humanidade. Até quando ele erra, parece que aprende mais do que a média dos homens.

Aos poucos, contudo, os feitos do chef boca suja começaram a me comover. Ele realmente tem qualidades, como determinação, força de vontade e foco. Ele entende como poucos o seu ramo de atuação. E, embora seja um mestre na arte do insulto, sabe elogiar e reconhecer o valor de sua equipe (um reconhecimento que vai muito além de discursos vazios e tapinhas nas costas).

Transcrevo a seguir um dos trechos que me chamou a atenção no livro:
Trabalhar duro não significa nada além de fazer o que você se dispõe a fazer, mas com uma intensidade de objetivo que foi pensada de antemão. Trabalhar duro esfregando panelas para evitar responsabilidades maiores é uma atitude que não resultará em nada além de uma panela limpa, e não é disso que estou falando. Sua mente tem de estar presente na ação, para compreender o motivo de trabalhar longas horas num ambiente inóspito, seja esse motivo aprender, ganhar experiência ou se tornar o primeiro entre iguais. Não é uma obsessão; é uma disciplina que se torna parte de você para a qual não há qualquer alternativa. Eu me lembro de como entendi imediatamente a pergunta: 'Sinceramente, você quer ser rico?'. Todos querem responder 'sim' a essa pergunta, mas há algo que não entendem bem: a palavra 'sinceramente'. Acham que a pergunta é apenas 'você quer ficar rico?'. 'Sinceramente' significa estar preparado a dar tudo para ficar rico, e isso significa trabalhar duro. Explicando de outra maneira, se você alcança um nível de sucesso acima do normal, então precisa criar disciplinas sobre as quais a maioria das pessoas nem quer ouvir falar.
Minhas impressões finais sobre Brincando com fogo: apesar de chegado ao fim do livro e de não ter desgostado dele, poderia viver bem sem nunca ter folheado suas páginas. Imagino que quem vive profissionalmente o dia a dia dos grandes restaurantes (e que sonha em ter uma brigada pra chamar de sua) aproveite bem mais a leitura. Mas, para mim, cozinheira doméstica e leitora voraz, o livro não convenceu.

3 comentários:

Gina disse...

Letrícia,
Sinceramente, de tudo que já vi nos programas dele, o que mais gostei foi do lado de consultor, quando ele vai a um restaurante para detectar os problemas e transformá-lo num lugar que atraia clientes. Experiência não lhe falta.
Já o lado dos insultos, aí é demais! Não creio ser necessário chegar a esse ponto, para conseguir uma equipe sob controle, antenada e eficiente.
Taí um livro que não me atrai.
Bom final de semana!
Ah, tem uma novidade no blog, passe lá.
Bjs.

Robson Leandro da Silva disse...

Legal, não sabia que tinha saído esse livro dele. Vou comprar. :)

SSPT disse...

Gosto do jeito que o Gordon Ramsay lida com seus aprendizes. Quem consegue vencer essas adversidades será com certeza um grande chef a sua altura e de usar o Dolmã. Talvez o Brasileiro não perceba que as dificuldades são feitas para crescer na vida. Melhor ser insultado agora que um derrotado na vida.

Printfriendly