Cozinhando para não enlouquecer - Salada Thai de manga verde

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Normalmente não falo muito da minha vida pessoal por aqui, mas hoje o bicho está pegando. Então, sentem, que lá vem história (curtinha, prometo).

Daqui a algumas semanas, voltarei a trabalhar, depois de uma longuíssima temporada afastada. Para que o meu retorno seja possível, os bebês estão começando desde já na creche. Hoje é o primeiro dia em que eles passam mais do que 4,5h afastados de mim. E, confesso, estou surtando.

Se houvesse um lote vazio para eu capinar, eu capinava. Se houvesse um caminhão de tijolos para eu descarregar, eu descarregava. Mas só me resta buscar consolo na cozinha. Quem sabe uma pilha bem alta de louça suja me faça esquecer por alguns instantes o grande oco que se abriu no meu peito desde que eu me despedi deles.

Bom, agora que eu já choraminguei, vamos à receita, que também tem historinha.

Foi assim: um dia desses, o hômi se ofereceu para me preparar uma vitamina de manga. Só que, em vez de usar a manga madurinha da fruteira, preferiu dar oportunidade a uma manga verde que lá também estava. Resultado: uma vitamina bem mais ou menos e um bom pedaço de manga verde na geladeira.

Como eu me lembrava vagamente de ter ouvido falar em salada de manga verde, resolvi fuçar a internet em busca de uma receita. Achei uma no site do programa do Daniel Bork que me pareceu interessante. Como eu já tinha todos os ingredientes em casa, foi só correr para a cozinha e, em seguida, para o abraço.

Sobre a salada, é muito saborosa, combina lindamente os sabores salgado, azedo, doce e picante - e deve ter um tanto de umami, por conta do molho de peixe. Mas, de verdade, meus sentidos estavam um tanto embotados quando a provei. Tudo hoje tem gosto da falta que os meus pequenos me fazem.

Salada thai de manga verde 
Receita levemente adaptada daqui

Ingredientes:

Para o molho:
15ml de molho de peixe (nam pla)
5g de galangal ou gengibre fresco ralado (usei gengibre)
5g de sal
75g de açúcar branco
30 ml de vinagre de arroz

Para a salada:
Mangas bem verdes cortadas em tirinhas longas e finas (usei 3/4 de uma manga palmer)
30g de cenoura cortada em tirinhas longas e finas  (coloquei quanto achei necessário para colorir a salada)
10g de cebola roxa cortada em tirinhas (coloquei o equivalente a 1/4 de uma cebola média)
Folhas de hortelã (não tinha em casa e não usei)
Amendoim torrado a gosto
Pimenta a gosto (não tinha em casa e não usei)

Modo de preparo:

Bico, como toda salada. Em uma tigelinha, junte os ingredientes do molho. Misture e prove, corrigindo o que achar necessário.

Em outra tigela, acomode os ingredientes da salada, previamente cortados em tirinhas. Despeje o molho sobre eles, misture delicadamente e sirva já.

5 comentários:

neri disse...

Ola eu sei o que vc esta sentindo,ja passei por isto.Tenho 2 filhos o mais velho quando pequeno ate os 2 anos minha mãe cuidou mais DEUS achou melhor minha mãe com ele.Ai eu não tinha coragem de deixar em escolinha ou arrumar alguem para cuidar.Comecei a inventar quitutes para vender e continuo ate hoje.DEUS te abençõe e te oriente no melhor pra vc e sua familia.abraços

Rachel disse...

Letrícia... muita calma nessa hora, ficar longe deles tão pequenos nos dá uma sensação de vazio, mas com o tempo você se acostuma.
Quanto a salada, nem precisa dizer deve ter ficado muito gostosa, adoro sabores agridoce assim.
Bjuss e força na peruca...rsrsrs!!!

Yara disse...

Hohoho conheço bem essa sensação... quando o Fefê estava em adaptação na escolinha, eu o deixava lá e não voltava pra casa, ia bater perna na rua, porque se voltasse e olhasse o berço vazio = buáááááá!

Porém, trabalhar é uma necessidade (as contas nunca erram meu endereço, é impressionante!) e ele se adaptou super bem, vai todo sorridente, tem amigos, come bem, está espertinho, volta cansado e dorme a noite inteira, hohoho.

Prefiro deixar na escola porque não confio nem na mais linda babá do mundo. Durante a licença maternidade andei observando as babás no parquinho do prédio e afeeeee ou estão mexendo no celular ou fofocando cazamigas.

Pelo menos na escola tem mais gente pra olhar, mães indo e vindo toda hora, a supervisão do diretor e o apoio das outras mães: se acontecer alguma coisa com o Fefê eu espalho a notícia e a escola cai na má fama, hohoho.

Vai dar tudo certo, tô torcendo por você!

A Paixão da Isa disse...

pois é somos mae e nao podemos ficar mt tempo sem eles por mt pouco que seija bem essa salada ela esta humm adoro manga sou fan bjs e tudo de bom coraguem passa logo bs

Os Babinhos disse...

Deve ser mesmo complicado "abandonar" as crias numa nova fase da vida delas, mas temos que nos adaptar para dar o melhor... força.

A salada tem um aspecto delicioso.

Beijinho,

Susana
As Papinhas dos Babinhos

Printfriendly