Boas intenções, miolos moles e pãezinhos de mandioquinha

sábado, 30 de agosto de 2014

Pão de mandioquinha

Tempo livre é algo que está cada vez mais escasso por aqui. Mas, para quem a gente ama, sempre dá para abrir um espacinho, né. Foi com essa bela intenção que eu aproveitei um pedacinho de tarde livre, um bocado de mandioquinha cozida e fiz esses pãezinhos para o hômi. Tinha uma lembrança remota de ele ter se queixado de não encontrá-los mais no supermercado onde costumamos fazer compras.

O hômi recebeu os pãezinhos com surpresa. Comeu dois de uma só tacada, elogiou, mas ficou com uma cara esquisita. Resolvi sondar o que estava acontecendo.

- Você não gostou dos pãezinhos?
- Gostei, sim! Estão muito bons.
- Estão muito diferentes dos que você comprava no supermercado?
- Estão, sim.
- O que exatamente está diferente?
- Os que eu comprava no supermercado eram de abóbora.

Cuén. Depois dessa, fiquem com a receita, que é uma delícia (e que funciona muito melhor do que a minha cabecinha).

Pão de mandioquinha
Receita minimamente do blog da querida Laurinha

Ingredientes:

500 g de farinha de trigo (pode ser que você use um pouco menos - vai depender da mandioquinha)
10 g de fermento biológico seco instantâneo
250 g de mandioquinha cozida e espremida
¼ xícara (chá) de leite
½ xícara (chá) de óleo de canola
1 colher (sopa) de manteiga
2 ovos
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de sal

Modo de preparo:

Vou explicar como preparar esta receita na batedeira, o método que utilizei. Mas se preferir, pode fazer tudo a mão.

Combine o fermento a 300 g de farinha de trigo, misturando bem. Reserve.

Com a batedeira equipada com o gancho para massas, misture os demais ingredientes - mandioquinha, leite, óleo, manteiga, ovos, açúcar e sal. Quando a mistura estiver uniforme, acrescente a farinha de trigo misturada ao fermento às colheradas, com o batedor em velocidade baixa.

Quando a farinha com fermento for toda incorporada, a massa estará bem grudenta. Se a sua batedeira for valente (a minha é), acrescente mais 150 g de farinha, ainda às colheradas, batendo sempre em velocidade lenta. Se a sua batedeira já estiver pedindo arrego, transfira a massa grudenta para a superfície de trabalho e incorpore a farinha manualmente, sovando bem.

Quando a massa estiver lisa, elástica e sem grudar nas mãos, forme uma bola com ela e acomode-a em uma tigela grande, levemente untada. Cubra-a com um plástico (também untado) e deixe em local quentinho, protegido de vento e variações de temperatura.

Quando a massa tiver dobrado de volume, aperte-a com os punhos para extrair o gás acumulado e modele os pãezinhos como preferir (fiz bolotas de cerca de 50 g). Acomode em assadeira untada e enfarinhada, cubra com um pano de prato levemente umedecido (para não ressecar) e deixe crescer novamente até dobrar de volume.

Leve ao forno preaquecido a 180ºC por uns 25 minutos ou até que os pãezinhos fiquem dourados. Deixe esfriar por meia hora antes de comer.

Observação final:

"Por que eu preciso me torturar e esperar 30 infinitos minutos antes de comer o pão, Letrícia?". Não brigue comigo, que tudo tem explicação. Assim que o pão sai do forno, ainda está bem úmido por dentro - se você tenta cortá-lo ou comê-lo, vai reparar que o miolo vai parecer meio grudento.

Se você conseguir esperar, o calor residual que está no pão vai cuidar de evaporar essa umidade. E tchanan, você terá um pão com miolo fofinho para comer! 

Um comentário:

Andrea Bitencourt disse...

Essa foi boa!!!! rsrs O que importa é que ele ganhou uma fornada de pães quentinhos e nós ganhamos uma receita!!!! Quando fizer os de abóbora, divida com a gente também!! Beijos e bom final de semana! =)

Printfriendly