Creme de tapioca e coco com calda de maracujá

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Sabe quando você lê uma receita e acha que ela está furada, mas resolve arriscar mesmo assim? Sabe quando você a prepara e, durante o processo, pensa que aquilo não vai dar certo? Sabe quando você sente no fundo do seu coração que nem geladeira vai dar jeito naquilo mas, por via das dúvidas, deixa gelar a tarde toda? Aí, de noite, você abre a geladeira e...

...Não vingou mesmo. Já aconteceu com você? Comigo aconteceu no dia 31, enquanto eu preparava a opção vegana de sobremesa para o almoço do dia 1º. Segui uma receita de pudim de tapioca que o Google sugeriu e cuén, deu errado.

Como o 'trem' jamais firmaria, resolvi tirar da forma de pudim e distribuir em tacinhas. Afinal, como creme, estava bem gostoso, embora um pouco mais doce do que costumo preparar (mais furo da receita, que se dizia pouco doce).

Como estava muito simplinho, fiz uma caldinha de maracujá para jogar por cima. Ficou tão bom que fiz um repeteco para arredondar a receita. E, agora, resolvi compartilhar com vocês!

Creme de tapioca e coco com calda de maracujá

Ingredientes:

Para o creme:
1L de leite de coco caseiro (faça com 2 cocos secos sem casca ou pele escura, batidos com 1 L de água quente)
180g de açúcar demerara (pode usar mais se for do seu agrado)
2 xícaras/100g de tapioca granulada paraense (ela se parece com floquinhos de isopor)
100g de coco ralado fresco (pode ser o resíduo do leite de coco caseiro)
1 pitada de sal

Para a caldinha:
90mL de polpa de maracujá (com sementes - quanto você achar bom)
60mL de água filtrada
50g de açúcar demerara
2 colheres (chá) de maizena

Modo de preparo:

Em uma panela média, junte todos os ingredientes do creme de coco e leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até obter um mingau grosso. Desligue o fogo e deixe o creme esfriar até ficar em temperatura ambiente.

Enquanto isso, faça a calda: dissolva a maizena na água filtrada, mexendo bem. Numa panelinha, junte essa mistura à polpa de maracujá e ao açúcar. Leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até obter uma calda mais densa. Deixe ficar em temperatura ambiente também.

Distribua o creme esfriado por 12 tacinhas. Sobre o creme, coloque um pouco da calda de maracujá.

Leve à geladeira até a hora de servir.

Observações finais:

* "Leite de coco caseiro? Coco ralado fresco?" Se você desanimou diante disso, deixa eu contar uma coisa: da primeira vez que preparei esta receita, usei leite de coco industrializado levemente diluído - 4 garrafinhas de 200mL + 1 caixinha de água de coco de 200mL. E o coco ralado foi o desidratado, mesmo. Ficou bom também, só mais branquinho e com sabor um pouco mais forte.

* "Tapioca paraense? Onde tem?" No Pará, ué ;-P. Veja se há alguma loja fornecedora de produtos paraenses onde você mora. Até mesmo um amigo paraense pode resolver - o povo do Pará é famoso por sempre arranjar alguém da terrinha para trazer um ingrediente que só tem lá. Se não tiver jeito, tente fazer com a tapioca granulada industrializada. Não testei para saber se fica bom, mas não custa tentar.

* "Açúcar demerara? Não pode ser comum?" Se os seus convivas forem veganos, demerara é o mais indicado. Para ficar branquinho daquele jeito, o açúcar comum passa por um processo de refinamento que pode ou não incluir cinzas de ossos de boi. O demerara garantidamente não passa por esse processo.

* "Polpa de maracujá? Detesto sementinhas!". Não tiro sua razão - sementinhas demais podem ser chatas. Pode usar então 90 mL de polpa coada. Até mesmo de suco industrializado, vai.

Nenhum comentário:

Printfriendly